Viagem & Gastronomia

Tea Shop faz sucesso no Brasil com mais de 120 sabores de chás: “O país é um mercado que dá lucro para a empresa”, afirmou Anthony DeMello, empresário da unidade Rio Design Barra

Em um ano, a marca dobrou o número de franquias em território nacional, passando de 10 para 20 lojas. Até o momento, a empresa está presente em quase dez cidades no país como Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Porto Alegre, Gramado, Belo Horizonte, Fortaleza, Brasília e Vitória. A unidade na Barra, na Cidade Maravilhosa, foi a última a abrir, em fevereiro deste ano

Publicado em 24 de Abril de 2018 | Por Ana Clara Xavier

O chá é segunda bebida mais consumida no mundo e a Tea Shop chegou ao mercado brasileiro provando que somos consumidores em potencial. A empresa foi fundada em 1990 por um sueco que viu a necessidade de criar uma loja de qualidade no ramo em Barcelona. A marca é líder de vendas na Espanha e expandiu a empresa para dois outros países latinos, o Brasil e a Argentina. Atualmente, são cerca de 70 pontos de venda no mundo, sendo 20 somente em território nacional. “O consumo no Brasil aumentou e o de refrigerante caiu muito, podemos ver isso com a aceitação da Tea Shop. No mercado, por exemplo, conseguimos achar facilmente diversos tipos, mesmo que sejam de sachê. Esta bebida está presente no nosso dia a dia, temos restaurantes que até produzem chá”, contou o empresário Anthony DeMello, dono do último estabelecimento que abriu no Rio de Janeiro, no Rio Design Barra. De acordo com dados da Euromonitor International, as vendas desta bebida não param de crescer no Brasil. Até o fim de 2017, 4 mil toneladas do produto foram comercializadas no varejo. Em um ano, o número de lojas duplicou no país, indo de 10 para 20 lojas, que ficam na Cidade Maravilhosa, São Paulo, Salvador, Porto Alegre, Gramado, Belo Horizonte, Fortaleza, Brasília e Vitória.

A Tea Shop Rio Design Barra foi a última franquia da marca inaugurada no Brasil pelo empresário Anthony DeMello (Foto: Ricardo Zé Nicola)

A primeira loja física da marca no Brasil foi aberta em 2015. Desde então, todas as bebidas consumidas na Europa foram trazidas para o território nacional. Sendo assim, não houve a necessidade de alterar a venda para agradar o paladar tupiniquim. A única alteração foi com relação à proposta visual da empresa para se adaptar aos hábitos dos brasileiros. “Houve a criação do espaço gourmet, porque o brasileiro gosta de sentar, apreciar o momento e tomar alguma coisa. Na Europa, havia um esquema parecido com a Starbucks, que as pessoas só pegavam a bebida e iam embora. Por isso colocamos mesas e cadeiras para servir o cliente os chás e alguma comida leve como um pedaço de bolo que combine”, explicou Anthony.

Para Anthony, o momento de crise é uma oportunidade para inovar (Foto: Ricardo Zé Nicola)

A empresa chegou ao Brasil na crista da onda da crise, ou seja, logo que embarcou no cenário nacional precisou lidar com instabilidade econômica. Mesmo assim, todas as franquias conseguiram bater as metas estipuladas. “O resultado financeiro pode ser melhor do que é, mas a receita só cresce e acho que já estão melhorando. O Brasil é um mercado que dá lucro para a empresa e está em ascensão”, comentou. Para driblar a oscilação, Anthony foi além. O profissional viu neste momento difícil a possibilidade para fazer diferente e criar um negócio de sucesso. “Neste momento que estamos saindo da crise, acho que é preciso ser versátil. Não é porque a marca está consolidada financeiramente, mas a pessoa pode se acomodar. Para ir contra isso, estou fechando parcerias e participando de eventos importantes. Estou buscando outras lojas que tenham uma identidade parecida com a Tea Shop, com a proposta que temos. Isto faz com que a empresa seja diferente”, completou. Além disso, o empresário busca estar sempre presente na loja do Rio Design Barra, anotando pedidos e preparando chás. “Acho importante este contato com o público, isso faz toda a diferença”, concluiu.

Quando a marca chegou ao Brasil, houve a criação de um espaço gourmet dentro da loja (Foto: Ricardo Zé Nicola)

Contrariando o imaginário popular, é possível beber chá no verão. A verdade é que a maioria das bebidas podem ser consumidas quentes e frias, sendo apenas uma escolha do cliente. O próprio empresário Anthony prefere tomar chá gelado no calor do Rio de Janeiro. “Depende muito da rotina de cada um, até por isso que gosto de conversar com os meus clientes para achar o produto ideal para cada um. A pessoa que faz exercício físico pode colocar o chá gelado na garrafa e ir para a academia, por exemplo. Sendo assim, trata-se apenas de incluir no dia-a-dia. Nós quebramos um pouco os estigmas do chá, não demora mais tanto tempo para produzir um. É o mesmo tempo de passar um café”, comentou.

A Tea Shop possui mais de 120 opções de sabores diferentes, sendo capaz de agradar todos os gostos. Uma forma de incluir o produto na rotina do consumidor é entender os princípios de cada tipo de chá. “Toda a bebida tem uma propriedade diferente podendo ser relaxante muscular, sonífero natural, estimula produção de colágeno e outros. Não sou médico e sei que o chá não vai substituir um remédio, mas é fundamental pelo menos testar com o nosso corpo. Se podemos substituir coisas quimicamente manipuladas por naturais, acho que vale a pena tentar. Isto pode ser muito importante para a saúde”, informou.

Algumas propriedades do produto podem fazer muito bem para a saúde (Foto: Ricardo Zé Nicola)

 

Serviço:

Tea Shop Rio Design Barra

Avenida das Américas, 7777 – Barra da Tijuca

Piso Térreo – loja 156

Pesquisas relacionadas