Cinema & TV

“Novo Mundo”: próxima novela da Globo propõe novo ponto de vista para contar o passado do Brasil e traz elenco estelar para a faixa das 18h. Veja os detalhes!

Com Isabelle Drummond e Chay Sued como protagonistas, o folhetim irá tratar a época da Independência no Brasil, No papel da Princesa Leopoldina, Letícia Collin destacou a importância de trazer a temática para a teledramaturgia. ". É muito interessante poder revisitar o passado para tentar entender o presente e melhorar o futuro"

Publicado em 9 de março de 2017 | Por Julia Pimentel

Independência ou morte? A clássica frase faz parte da história do passado do nosso país e traz personagens tradicionais como protagonistas da época. No entanto, em “Novo Mundo”, a próxima novela das 18h da Globo que estreia dia 22 de março, este passado tupiniquim será contado a partir de um novo ponto de vista. Embora os clássicos personagens da realeza portuguesa estejam presentes na trama, o enredo será narrado pelas experiências de Ana Millman, papel de Isabelle Drummond, e Joaquim Martinho, que será vivido por Chay Sued. De um lado, está a amiga, professora de português e confidente da Princesa Leopoldina. De outro, o herói da trama, que luta pelas causas indígenas e é nomeado guarda pessoal de Dom Pedro.

Chay Sued e Isabelle Drummond serão os protagonistas de Novo Mundo (Foto: AgNews)

Escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson, “Novo Mundo” se propõe a contar a história do Brasil de forma mais fiel e crítica ao que de fato ocorreu. Segundo os autores e o elenco da novela, nem todo o passado é narrado nas aulas de história do colégio. Por isso, como forma de lazer, a nova trama da Globo traz uma função educativa e de serviço para os telespectadores. “A televisão ainda é o veículo que garante o entretenimento de muita gente que não tem outras formas para se divertir. Por isso, essa novela é um privilégio enorme. Para mim, é uma alegria gigante poder contar sobre pessoas que fazem diferença na vida de outras”, disse a autora Thereza Falcão.

Parte do elenco da próxima novela das 18h, Novo Mundo (Foto: AgNews)

Responsável por apresentar este novo ponto de vista da história de nosso país, Isabelle Drummond é a protagonista da trama. Ao lado de Chay Sued, a atriz irá narrar o passado pelas experiências de Ana Millman, que escreve um diário contando sua vivência com a amiga Leopoldina. Embora a personagem não tenha existido de fato na história do Brasil, Isabelle contou que Ana é uma combinação de diversas outras pessoas que compuseram esse passado. Para a atriz, este novo olhar sobre uma história já conhecida representa um novo descobrimento. “Eu acho muito interessante os protagonistas não serem os grandes personagens da história do Brasil. Normalmente, a gente não fala muito das pessoas que estavam nos bastidores da Independência e que foram fundamentais para as decisões no país. Então, é super curioso dar voz a esses personagens, porque cria uma desconstrução do formato normal e tradicional das novelas”, analisou Isabelle Drummond.

Isabelle Drummond será Ana Millman em Novo Mundo (Foto: AgNews)

Já seu companheiro de cena e par romântico na novela destacou a possibilidade de contar a história mais real e livre de filtros do nosso país. Em entrevista, Chay Sued definiu como novo e interessante esse ponto de vista adotado para a narrativa de “Novo Mundo”. “A gente conta a história de um Brasil em formação com todos os seus defeitos e sem nenhum tipo de glamour ou altivez. Na novela, tem todas as injustiças, barbáries, história dos brancos acabando com os índios e os negros sendo escravizados. Então, esse ponto de vista das minorias é incrível”, disse o ator que comentou sobre a missão educativa da trama na teledramaturgia. “Muito além do entretenimento, essa novela tem a função de contar o passado do nosso país de uma maneira divertida e real, em que pontos que não nos foram citados nas aulas de história do colégio são revelados. Por isso, eu acredito que essa oportunidade seja muito boa para ensinar diversas gerações”, completou Chay Sued.

Letícia Collin, Chay Sued e Isabelle Drummond na coletiva de lançamento de Novo Mundo (Foto: AgNews)

Para garantir que tudo fosse bem fiel ao que de fato aconteceu, o elenco se entregou aos seus respectivos personagens. Seja no incrível figurino, na cenografia primorosa ou nos sotaques, que completam as personalidades, a direção criativa de Vinícius Coimbra é um dos destaques de “Novo Mundo”. Um desses exemplos de ator que está respirando seu novo personagem é Caio Castro. Para viver Dom Pedro com excelência, o ator contou que optou por passar uma temporada em Portugal e conhecer de perto o universo do nobre. “Eu fiquei dez dias em Portugal escutando e aprendendo o sotaque de lá e tendo a oportunidade de mergulhar na cultura. Isso fez toda a diferença. Eu poder ter tocado na cama em que Dom Pedro morreu e presenciar o universo real do personagem enriqueceu muito o meu laboratório”, contou Caio Castro, que apesar de todo o estudo, precisou criar o seu Dom Pedro. “É muito complicado seguir os trejeitos dele, porque nós não temos registros audiovisuais da época. Todas as imagens e relatos sobre ele que temos são de pintura ou livros de historiadores. Então, a construção precisou ser feita através de muita leitura e das referências externas de Portugal”, acrescentou.

Caio Castro será Dom Pedro em Novo Mundo (Foto: AgNews)

Outro exemplo de ator que mergulhou em seu personagem de “Novo Mundo” foi Allan Souza Lima. Para a novela, em que ele interpreta o cacique Ubirajara, Allan e parte do elenco ficaram quatro dias em uma aldeia no Pará conhecendo a realidade dos índios brasileiros. De forma intensa e de entrega total, o ator nos contou que os dramas de seu personagem já se tornaram pessoais também. “Toda aquela experiência e entrega que eu tive no passado estão sendo fundamentais agora para eu viver de fato o meu personagem. Inclusive, na última semana, eu gravei algumas cenas de guerra em que fiquei muito mexido. Depois desse dia mais pesado, eu entrei em contato com o cacique que nos recebeu na aldeia e contei desse meu sentimento. E, como ele me disse, o meu personagem, que é o líder do grupo, tem essa função mesmo de levar porrada para defender seu povo”, contou Allan Souza Lima.

Para a coletiva, Allan Souza Lima usou o cocar que ganhou do cacique da aldeia que visitou (Foto: AgNews)

Quem também viajou com Allan e interpreta um índio na próxima novela das 18h é Rodrigo Simas. Na trama, ele vem para o Brasil com a corte em busca de suas raízes indígenas que foram abandonadas na infância. Segundo o ator, a vivência com a aldeia real do Pará foi fundamental para que destacasse alguns detalhes para compor seu personagem. “Aquela experiência me serviu muito como uma memória verdadeira. Quando eu comecei a construir o meu Piatã, eu resgatei o olhar das crianças de alegria e uma certa inocência. Lá, o que mais me impressionou foi a liberdade. As crianças, até as mais pequenas, ficavam correndo pela aldeia até de madrugada sem nenhum problema. Elas iam para o rio e para o meio do mato sozinhas e isso não era preocupação para os pais”, lembrou Rodrigo.

Rodrigo Simas será Piatã em Novo Mundo (Foto: AgNews)

Entre tantos personagens que compõem o elenco de luxo de “Novo Mundo”, a novela também se destaca pelas questões abordadas. Junto com a história do Brasil, a trama da Globo discute a escravidão, a temática indígena e o preconceito. Engajada em trazer a reflexão para os tempos atuais, Letícia Collin destacou a importância destas abordagens. Em “Novo Mundo”, a atriz viverá Princesa Leopoldina, que veio da Áustria para o Brasil e ficou assustada com práticas nacionais, como a escravidão, por exemplo. “Eu acho que essa é uma novela super atual. É muito doido a gente pensar dessa forma, mas é a verdade. A trama aborda a formação do país e isso explica muito os nossos pensamentos e comportamentos de hoje. É muito interessante poder revisitar o passado para tentar entender o presente e melhorar o futuro”, analisou Letícia.

Letícia Collin viverá a princesa Leopoldina em Novo Mundo (Foto: AgNews)

Pesquisas relacionadas