Cinema & TV

Na pele de um orientador em Malhação, Mouhamed Harfouch destaca importância da valorização da figura do professor em nossa sociedade: “É a peça chave para qualquer transformação”

Além da novela e da discussão sobre o contraponto de educação e corrupção nos moldes contemporâneos, o ator ainda contou de seu próximo projeto no cinema. Em breve, estreia “Uma Pitada de Sorte”, longa no qual o ator interpreta Lugão. “Esse trabalho foi muito interessante de fazer porque ele um cara super paradoxal"

Publicado em 28 de novembro de 2017 | Por Julia Pimentel

A educação é o assunto que guia e motiva Mouhamed Harfouch em Malhação. Na atual temporada da novela, o ator interpreta o orientador Bóris, um homem dedicado à vida acadêmica e apaixonado pelo trabalho com os alunos. Por trás do personagem de ficção, Mouhamed aproveita a oportunidade em Malhação para levantar a bandeira da educação e da valorização dos professores. Afinal, mais do que reconhecer a importância da figura do mestre, ele também resgata sua ocupação do passado, quando também foi professor. “Estar em Malhação está sendo incrível. Nessa temporada, temos um texto muito rico que toca em pontos que seriam até sensíveis para o horário. Mas, nas mãos do Cao (autor da novela), ficam inteligentes e pontuais. Entre eles, estar falar de educação neste momento de sucateamento do ensino. Estamos vivendo uma época de falta de valores, ética e cidadania e com corrupção para todos os lados. Então, falar de educação com este cenário é essencial e eu sou muito grato ao Bóris por estar levantando essa temática na televisão”, disse.

Mouhamed Harfouch interpreta o orientador Bóris na atual temporada de Malhação (Foto: Rodrigo Lopes)

Nesta abordagem, Mouhamed Harfouch acredita estar destacando uma profissão que, mais do que esquecida nos últimos tempos, vem sendo minimizada em nossa sociedade. De acordo com o ator, como solução para os problemas de hoje, estão, justamente, os professores. “Esse trabalho está me dando a chance de jogar uma luz sobre esse profissional que é um verdadeiro agente transformador da nossa sociedade. O professor é a peça chave para qualquer transformação e possibilidade de melhorar o mundo”, defendeu o ator que, na novela, ainda consegue abordar o ensino público e o privado. Nesta temporada de Malhação, os núcleos se dividem em suas escolas e, assim, levantam questões diferentes em um mesmo cenário acadêmico. “É muito importante a gente mostrar essa diferença e tudo o que o professor da rede pública sofre, como falta de pagamento e até agressão em sala de aula. Esse profissional precisa ser visto por todos nós como o super-herói da sociedade. É ele quem vai abrir ou matar o horizonte de um aluno”, disse.

Para o ator, o professor precisa ser visto como “o super-herói da sociedade” (Foto: Rodrigo Lopes)

Porém, mais do que defender uma profissão da qual Mouhamed se orgulha, o ator ainda ganhou diferentes desdobramentos contemporâneos de seu orientador da ficção. Na novela, entre uma questão na escola e outra, Bóris se envolveu em um suposto caso de assédio de uma aluna. Acusado, ele descobriu outro lado de seu entrega e carinho com a turma de jovens. “Meu personagem é extremamente comprometido com o ensino e, de fato, se entrega e ama o que faz. O Bóris é um educador que se doa e trata a educação de fora horizontal, sem distinguir um do outro. Para ele, cada aluno é um indivíduo único. No entanto, esse carinho acabou sendo confundido a partir de uma paixonite de uma das alunas”, analisou o ator que, em sua opinião, considerou normal e comum esse tipo de encantamento. “Eu acho que a maioria dos jovens já teve uma paixão platônica por algum professor ou professora”, apontou.

Em Malhação, o personagem de Mouhamed ainda se envolveu em um caso de assédio com uma aluna (Foto: Rodrigo Lopes)

E, de fato, foi isso o que Mouhamed Harfouch constatou depois de protagonizar esta discussão em Malhação. Nas redes sociais, a repercussão foi imediata e direta. Em seu Instagram, o ator recebeu mensagens de professores e alunos contando casos pessoais de encantamento unilateral pelos mestres. “É uma linha muito tênue entre ser você e carinhoso com os seus alunos e criar interpretações erradas. Mas eu não acho que ser frio para evitar qualquer questão seja a melhor opção”, comentou.

Fora das telinhas, Mouhamed também presenciou uma linha tênue em sua vida. Recentemente, o ator fez o primeiro ensaio de moda, com roupas, tendências, cliques e poses. Para isso, ele nos contou que se dividiu entre a timidez de uma experiência “exibicionista” com a habilidade artística dos palcos e sets. “Foi muito engraçado. Eu ainda não me acostumei com essa história de tirar foto, ainda mais em um ensaio. Ali eu não estou nem em uma selfie descontraída e nem em um personagem. Então eu precisei ir me acostumando para encontrar um lugar que me sentisse à vontade e relaxasse”, contou Mouhamed que considera que existam diferentes níveis de timidez. “Eu acredito que tenha vencido parte dela porque estou em cima de um palco encarando dezenas de pessoas. Mas eu sou um pouco mais travado, ainda mais quando não tenho um texto para me proteger”, diferenciou o ator que acredita que nada disso seja consequência de sua educação e da cultura árabe da sua família.

Para as fotos que ilustram esta matéria, o ator contou que ficou tímido com a experiência (Foto: Rodrigo Lopes)

No entanto, o importante é que, fora dos cliques, a timidez não acompanha a carreira de Mouhamed Harfouch. Prova disso é a longa trajetória do ator com passagens pelo teatro, cinema e televisão. Inclusive, nas telonas, Mouhamed carimba mais uma experiência divertida para o currículo. Em breve, estreia “Uma Pitada de Sorte”, longa no qual o ator interpreta Lugão. “Ele é o melhor amigo de infância da personagem da Fabiana Karla, que é a protagonista do filme, e é apaixonado por essa mulher. Esse trabalho foi muito interessante de fazer porque o Lugão é um cara super paradoxal. Ao mesmo tempo que ele sonha em montar uma academia e conversa com seus próprios bíceps, ele também só escuta Mozart no rádio do carro”, adiantou Mouhamed sobre o próximo trabalho.

Ah, e ainda tem mais. Além do teatro, cinema e televisão, tem outro palco no qual Mouhamed não se intimida: o da música. Em dezembro do ano passado, o site HT contou da nova empreitada da carreira do ator. Naquela época, ele se preparava para fazer seu primeiro show como profissional e lançar um EP com canções autorais na internet. Onze meses depois, Mouhamed afirmou: “depois que começa, não da mais para parar”. Após alguns shows, certa experiência e muito talento, ele acrescentou os espetáculos musicais a sua trajetória artística. “A música foi me abrindo portas que eu nem imaginava. Fazer “Ou tudo, ou nada” foi maravilhoso para mim e, inclusive, no ano que vem, eu começo a ensaiar um novo texto da Broadway com o mesmo diretor do anterior”, contou Mouhamed Harfouch que até março marca presença na telinha como o Bóris de Malhação.

Mouhamed Harfouch (Foto: Rodrigo Lopes)

Pesquisas relacionadas