Cinema & TV

Erika Januza volta à terra natal para prestigiar Minas Trend e fala do final feliz de sua personagem que sofreu racismo em “O outro lado do paraíso”: “É bonito ver que alguém pode abrir a cabeça”

A atriz adiantou o desfecho de sua Raquel: "Ela e Bruno finalmente se reconciliam. O amor venceu. É uma mensagem linda"

Publicado em 17 de Abril de 2018 | Por Heloisa Tolipan

Erika Januza conseguiu uma folguinha das gravações da reta final de “O outro lado do paraíso”, em que vive a juíza Raquel, para prestigiar a moda de sua cidade. A atriz fez questão de marcar presença no primeiro dia de Minas Trend, evento realizado pela FIEMG – Federação das Indústrias de Minas Gerais. “Minha relação com esse lugar é muito especial. Estar hoje aqui é estar literalmente em casa. Vim do Rio e estou hospedada na minha casa, sou de Contagem, aqui do lado”, comemorou ela, que entregou o interesse pelo tema: “Eu tenho o Vitor Carpe que é um braço direito para me ajudar a me produzir, mas a gente troca. Ele me mostra, quando eu não gosto não adianta, não uso. Não sou escrava da moda, mas gosto de estar ligada nas tendências do que está se usando. Mas não entro só por modismo, vou no que me favorece. A moda é se sentir bem. Estar na moda em estar feliz, pra mim não é válido”, afirmou. “A moda de Minas é muito forte na minha vida também. Sempre que posso gosto de dar prioridade aos estilistas da minha terra. Minas é especialista nisso”.

Erika Januza prestigia o Minas Trend (Foto: Henrique Fonseca)

Na reta final da trama das 21h, a atriz só tem motivos para comemorar. “O coração fica doido. A Raquel vai, finalmente, ficar com seu amado. Vai ao ar hoje a reconciliação deles”, adiantou. “Foi lindo de gravar. Ela leva flores pra ele. Os dois mereceram. O amor vai vencer, e que bom! É sinal de que o racismo não venceu”, disse, referindo-se à Nádia, personagem de Eliane Giardini, que vive sua sogra na história. “Achei lindo esse caminho da redenção da Nádia, principalmente depois do neto negro. Ela chegou para falar, se desculpar. Ela entendeu que as atitudes que ela tinha eram erradas”, analisou. “É bonito ver que é possível a pessoa abrir a cabeça”.

Erika Januza e Caio Paduan como o casal Raquel e Bruno (Foto: Reprodução/TV Globo)

A química com Caio Paduan em cena também foi muito elogiada pelos espectadores. “Nunca tínhamos trabalhado juntos mas criamos uma relação tão boa. A novela nos ofereceu uma preparação que fez toda diferença. Teve o momento de criar intimidade. Conseguimos construir um laço juntos”, elogiou ela, que destacou, também, a importância de sua Raquel. “Quando fui convidada para a personagem nem sabia dessa virada, de ela virar juíza, nada. Soube no meio das leituras. É uma personagem que levou uma mensagem muito positiva de merecimento pelo estudo, porque ela não tinha condições e cresceu com o próprio esforço. Isso mostra para o Brasil que é possível. Hoje a Raquel é uma juíza, uma mulher empoderada. Fiquei muito feliz de passar esse recado”.

Pesquisas relacionadas