Cinema & TV

Doctor Who quem?!? Como um seriado pouco badalado no Brasil consegue estar no ar desde os anos 1960?

Com meio século de exibição em mais de 200 países, o seriado que é fenômeno de público mesmo sem fazer alarde, traz novo ator no papel do protagonista no episódio de Natal

Publicado em 14 de dezembro de 2013 | Por Alexandre Schnabl

A ficção científica “Doctor Who”, no Brasil em cartaz na TV Cultura e na BBC HD, é responsável por um feito e tanto: está no ar desde 1963. E, embora tenha ficado fora da telinha entre 1989 e 2005, ainda assim é um do programas mais longevos da história da televisão mundial. Com 50 anos de existência (completados no último dia 23), produzida e transmitida pela BBC (British Broadcasting Corporation), e premiadíssima em solo britânico, esta sci-fi conta a história de um alienígena, conhecido apenas como “O Doutor”, que viaja em uma máquina do tempo. Misto de H.G.Wells com Jules Verne, adicionado com pitadas pop. Ou seja, a cara dos ingleses. E, desde que começou a ser exibida, já teve onze atores interpretando o papel principal, entre eles, o renomado Christopher Eccleston – na Inglaterra, um expoente da sua geração, aquela que está perto dos cinquenta anos. Protagonista da série em seu retorno, na temporada de 2005, o ator costuma ter presença forte em filmes como “Extermínio” (de Danny Boyle, 2002), “Elizabeth” (de Shekhar Kapur, 1998), “Os outros” (de Alejandro Amenábar, 2001) e “Thor: o mundo sombrio” (de Alan Taylor, 2013), além de participação marcante em outra fantasia da tevê, a super estimada “Heroes”.

Agora, surge novo burburinho com a série, aqui no Brasil, já que os produtores anunciaram que o escocês Peter Capaldi, o 12º a assumir a máquina do tempo, entra no programa no próximo dia 25 de dezembro, no episódio “The time of the doctor”, a ser televisionado pela BBC HD em solo nacional, às 22h, marcando a despedida do ator anterior, Matt Smith. Os fãs, óbvio, já estão em comoção, tristes com a saída de Smith e curiosos como que virá pela frente. Coisa de nerd, naturalmente, mas quem disse que eles não fazem barulho? Afinal, a ficção, distribuída pela BBC Worldwide, é vista em mais de 200 países e tem mais de 3 milhões de fãs no Facebook. A obra também desfruta de enorme êxito comercial, com de 10 milhões de DVDs e 8 milhões de produtos licenciados e comercializados mundo afora, sendo o programa número 1 da BBC em downloads no iTunes.

Fotos: divulgação

Portanto, a partir do próximo Natal, Capaldi, ator e cineasta de 55 anos, cujo curta-metragem “Franz Kafka’s It’s a Wonderful Life” abocanhou o Oscar de ‘Melhor curta-metragem em live action‘ em 1995, tem pela frente a missão de dar continuidade, no Brasil, ao carisma do personagem e manter a audiência, coisa que tem conseguido fazer na Grã-Bretanha desde agosto, quando estreou por lá no programa. Uma missão e tanto, ainda mais se considerarmos que, pela faixa etária do personagem, os produtores Steven Moffat e Mark Gatiss ficam engessados, sem poder escalar rostinhos novinhos e corpitchos cheios de testosterona para o papel, como acontece em seriados como “Glee”, “Revenge”, “True Blood”, “Vampire Diaries” ou “Skins”. Atores com pinta de pegador e abdômens como o de Tyler Posey em “Teen Wolf” e de Chord Overstreet e Darren Criss em “Glee” já são meio caminho andado para garantir a legião de telespectadores e o sucesso de uma série.

Entretanto, a idade não parece ser um fator que necessariamente conte na hora de escalar o elenco para um programa de sci-fi. Basta lembrar um dos principais sucessos do gênero, talvez o maior representante do alto escalão no patamar de ícones da ficção científica: Senhor Spock, de “Star Trek”. Seu intérprete, o ator Leonard Nimoy, já tinha 35 anos quando foi convocado pelo produtor Gene Roddenberry para dar vida ao personagem, em uma época distante das benesses dos produtos anti-age e da qualidade de vida contemporânea, quando ter idade de balzaquiano significava virar o Cabo da Boa Esperança, sem viço algum na pele.

Peter Capaldi, o 12º Doctor Who: a difícil tarefa de manter o sucesso das série, mesmo sem estar na flor da idade

Peter Capaldi, o 12º Doctor Who: a difícil tarefa de manter o sucesso das série, mesmo sem estar na flor da idade

foto: divulgação

Talvez, o motivo pelo qual a série não ser tão famosa, embora faça tremendo sucesso de audiência mundo afora, seja a ausência de um mocinho que desperte a libido no público jovem. Obviamente, nenhum dos doze atores que carregam Doctor Who no currículo fez – ou fará – parte da relação dos mais gostosos da revista People. Aqui no Brasil, onde se cultua a juventude em parâmetros parecidos com o dos americanos, também é improvável que Peter Capaldi venha a figurar na lista dos 50 mais sexies da Contigo ou da Isto É Gente. Os intérpretes que já envergaram o figurino do Doctor Who podem ser até figurões na indústria, como Eccleston, mas jamais terão physique du rôle que justifique a frequência nos sets de “Malhação” ou nas novelas de Carlos Lombardi.

Ao que tudo indica, nerds não parecem se importar com sex appeal, preferindo concentrar seu tirocínio em programas que despertem sua imaginação e desafiem a inteligência. E este talvez seja o segredo do sucesso para produtos como “Doctor Who”. Há quem afirme que os roteiros são perspicazes e os diálogos, espirituosos. O cenógrafo e aderecista Alexandre César dos Santos Moura, carioca, engrossa esse caldo: “As histórias são boas, os desfechos bem resolvidos e não estou nem aí para gente sarada. Quero mesmo é assistir conteúdo bacana e argumento bem realizado”. Bom, deve mesmo existir mais coisa entre a televisão e as cademias de maromba do que supõe a vã filosofia.

Confira! Os Especiais de Natal de Doctor Who serão transmitidos na BBC HD nos seguintes dias e horários:

Segunda-feira 23/12/13: A Christmas Carol, 22h

Terça-feira 24/12/13: The Doctor, The Widow and The Wardrobe, 22h

Quarta-feira 25/12/13: The Time of the Doctor, 22h Brasil

Quinta-feira 26/12/13:  The Time of the Doctor, 22h

Sexta-feira 27/12/13: Doctor Who Confidential 2010, 22h / The Snowmen, 23h

Sábado 28/12/13: The Time of the Doctor, 20h / A Christmas Carol, 21h / The Doctor, The Widow and The Wardrobe, 22:30h

Domingo 29/12/13: The Time of the Doctor, 22:30h / The Doctor, The Widow and The Wardrobe, 21h / A Christmas Carol, 0:00h

Pesquisas relacionadas

  • rana

    essa pessoa simplesmente acordou e pensou “vou escrever sobre aquele tal do doctor who”..como assim
    “..pela faixa etária do personagem, os produtores Steven Moffat e Mark Gatiss ficam engessados, sem poder escalar rostinhos novinhos e corpitchos cheios de testosterona para o papel”
    se nao me engano ele pode tomar qualquer aparencia depois q se regenera.

  • Paloma

    Meu comentario foi apagado e meu link ignorado 😀 UHU!!!