Cinema & TV

Depois de dez anos do fim das filmagens, Carolina Oliveira estreia o longa “Encantados” sobre a história da pajé Zeneida Lima

Na produção, a personagem é uma menina que descobre o dom da pajelança e, com isso, passa a ter poderes de curas, de usar ervas medicinais e energias. Para este trabalho, Carolina, que na época tinha 13 anos, contou que passou por três meses de preparação. "Eu fiz nado sincronizado, capoeira, equitação e aulas de uma dança bem antiga que deu origem ao carimbó"

Publicado em 8 de março de 2018 | Por Julia Pimentel

No Dia Internacional da Mulher, Carolina Oliveira estreia seu novo trabalho nos cinemas. Em “Encantados”, a atriz interpreta Zeneida, uma menina que nasceu com o dom da pajelança e está aprendendo a lidar com seus poderes. Mas, a Carolina que veremos no cinema a partir desta quarta-feira não é a jovem mulher que segue a carreira artística. Nas telonas, a atriz ainda é aquela menina de 13 anos que estava iniciando na profissão já com uma indicação ao Emmy Internacional pela sua estreia na telinha em “Hoje é Dia de Maria”. “Esse filme nós gravamos há dez anos e já está pronto há cinco esperando para estrear”, explicou.

Carolina Oliveira e Thiago Martins em “Encantados”, filme que estreia nesta semana (Foto. Divulgação)

A obra, de Tizuka Yamasaki, é inspirada no livro “O Mundo Místico dos Caruanas da Ilha de Marajó” e conta a história a partir da protagonista Zeneida Lima, interpretada por Carolina Oliveira. “Ela é uma menina que, a princípio, apenas morava em Belém com a família. Só que ela tinha um dom e não sabia lidar muito bem com isso. E nem os familiares”, contou a atriz. Até que Zeneida vai morar na Ilha de Marajó e passa a ter uma nova relação com seu dom da pajelança. Em meio à natureza, a sensibilidade da menina se aflora e tudo passa a ser mais intenso. “Ela não é uma índia, mas nasceu com um poder especial. A Zeneida tem o dom de curar, ela sabe usar ervas e energias. É uma pajé”, explicou.

O longa conta a história de uma menina que possui o dom da pajelança (Foto. Divulgação)

Para contar essa história, Carolina Oliveira conheceu a própria Zeneida. “Eu conversei muito com ela. Nesse processo, ela me contou várias histórias que nunca tinha revelado antes. E eu também nunca irei contar, mas foram fundamentais para que eu construísse essa personagem”, lembrou a atriz que, além deste mergulho real na vida de Zeneida Lima, ainda leu o livro que serviu de inspiração para Tizuka Yamasaki e se dedicou durante três meses às atividades que faziam parte daquele cenário. “Eu fiz nado sincronizado, capoeira, equitação e aulas de uma dança bem antiga que deu origem ao carimbó”, completou.

Para o trabalho, Carolina fez três meses de preparação com aulas e estudos (Foto. Divulgação/Danilo Borges)

A bordo de tudo isso, Carolina se envolveu no trabalho e descobriu com ele um novo elo: sua ligação com a natureza. A atriz afirmou que nunca havia conhecido nenhuma história indígena e nem tido referências anteriores que pudessem ajudar com a personagem. No entanto, quando começou as gravações, Carolina Oliveira se conectou à personagem através da fauna e flora. “Esse filme me mostrou que eu preciso pisar na terra e estar cercada de árvores para me reconectar. Isso é importante para mim e foi muito bonito ver o que a Zeneida vive. É um respeito pela natureza enorme”, comentou a atriz que, desta experiência, ainda apontou a questão da espiritualidade.

Inclusive, para ela, este filme é um exemplo disso. “É um trabalho que gravamos há dez anos e já está pronto há cinco. Nós tínhamos muita ansiedade para estrear logo, mas precisamos entender que tudo tem seu tempo. Uma hora ia acontecer. Isso foi algo que eu aprendi também”, contou a atriz que se declarou ansiosa para a estreia nesta quinta-feira, 8. “Quero que todos possam assistir logo a essa história. É um filme muito bonito e que tem uma fotografia linda”, elogiou.

Carolina Oliveira (Foto. Divulgação/Danilo Borges)

Porém, a animação de Carolina Oliveira em relação às telonas não se restringe apenas à estreia de “Encantados”. Para este ano, a atriz ainda tem outros dois lançamentos – ambos gravados em 2017. “Eu fiz “Amor Assombrado”, que é um filme em que eu divido a personagem com a Vanessa Gerbelli, e “Nirvana”. Este também foi um filme que gravei em Belém e tem uma história muito bonita. É sobre uma menina que sofreu um acidente de carro e ficou em coma por um tempo. Depois que ela acorda, não consegue mais dormir e acaba desenvolvendo um quadro de esquizofrenia”, adiantou.

E assim, com novos desafios e personagens diferentes, Carolina Oliveira segue em uma carreira que começou lá atrás, aos 11 anos. Em pouco mais de uma década de estrada, a atriz contou que segue caminhando, mas não negou que se cobra por estar envolvidas em novos trabalhos. “Eu não me vejo fazendo outra coisa. Existe uma pressão e uma cobrança por estar sempre em algum projeto, mas eu acho que isso vem mais de mim. Eu quero estar fazendo aquilo que eu amo e, por isso, estou em busca de personagens que me desafiem. Tudo o que eu já fiz tem uma importância especial para mim como pessoa e como profissional e isso me motiva a querer buscar mais e mais. Eu gosto do que eu faço e é isso o que eu quero continuar fazendo”, garantiu a atriz Carolina Oliveira.

Pesquisas relacionadas