Cinema & TV

Com trabalho no cinema e no teatro e canal no Youtube, Luana Piovani confirma convite a anuncia volta às novelas da Globo: “Vai ser sobre realismo fantástico”

Sem papas na língua, a atriz comentou o atual panorama político e econômico brasileiro e afirmou que acredita em um saldo positivo ao fim deste momento. "A sensação que eu tenho é que o brasileiro entendeu que ele tem a rédea do país nas mãos. Somos nós que votamos e que mandamos em tudo"

Publicado em 20 de junho de 2017 | Por Julia Pimentel

Uma mulher de 40 anos empoderada e super decidida. Este é o atual panorama profissional de Luana Piovani. Em seus três trabalhos do momento, dois no cinema e um no teatro, a atriz interpreta personagens modernas e donas de si. Uma delas é a Joana, do longa “Amor Sem Fronteiras”. No filme que está sendo gravado no Rio de Janeiro e tem previsão de estreia para o primeiro semestre do ano que vem, Luana dá vida a uma mulher contemporânea e liberal. Sob direção e roteiro de Marcelo Santiago e produção da LC Barrreto, “Amor Sem Fronteiras” narra as histórias de dois casais, um brasileiro e um argentino, que, sem saber, trocam de parceiros entre si. Para Joana, personagem de Luana Piovani, o caso extraconjugal do marido não é um problema, já que em casa ele passa a ser mais carinhoso e dedicado.

Neste contexto, ela passa a exalar suas principais características. Como disse Luana Piovani, a personagem do longa “Amor Sem Fronteiras” é super decidida e diretora de suas próprias vontades e escolhas. “Ela é uma mulher independente, bem-sucedida, casada há muitos anos, mãe e muito dona do seu destino. Mesmo que as escolhas não sejam as melhores ou mais corretas, ela não abre mão das vontades e segue o seu caminho. Eu acho que isso dá bastante força à personagem”, apresentou a atriz que acredita nunca ser exagerado falar de amor.

Gravações do longa “Amor Sem Fronteiras” no Rio (Foto: Mariana Viana)

Segundo Luana Piovani, esta é uma temática que, apesar de tradicional, sempre se reinventa e surpreende nos enredos. “O amor é atemporal e sempre vai ser um bom assunto. É um sentimento buscado por 80% das pessoas. Eu acho que é bom e simples continuarmos falando disso porque, afinal, é o retrato da nossa vida cotidiana. Essas histórias nós vemos o tempo todo acontecendo. Existem diversos casais se separando, voltando, se arriscando… Eu acho que hoje em dia as relações estão bastante efêmeras e o filme mostra essa contemporaneidade”, analisou.

Para contar essa história, Luana Piovani terá o humor como aliado. Como resultado, a atriz já adiantou que o filme será uma trama surpreendente em cima de uma temática que mistura tradição e modernidade. Sob a ótica contemporânea, Luana afirmou que não acredita que o amor tenha se reduzido, principalmente em tempos de redes sociais. “Eu acho que hoje em dia, as relações estão banalizadas, mas não o amor. Quando este sentimento aparece, ele é forte o suficiente para se manter vivo”, apontou.

Quando o assunto é internet, a atriz é uma personagem forte no quesito posicionamento. Em sua trajetória virtual, Luana Piovani acumula experiências íntimas, políticas e comportamentais que, segundo ela, traduzem o seu espírito comunicador. Mas, mesmo assim, ela garante: “não é tudo que eu posto na internet”. “Eu acho que todo mundo precisa ter um filtro. Por mais que eu goste de compartilhar meus momentos, existem situações que a gente prefere esconder e fotos que não são ideais para postar. Mas isso é uma escolha de cada um. Afinal, às vezes, o que incomoda para um é indiferente para o outro. Então, são escolhas que mostram como cada pessoa leva a vida”, disse a atriz que acredita que esta característica mais expositiva seja parte de sua personalidade. “Eu sempre fui uma comunicadora e, talvez por isso, eu goste tanto do teatro. Eu gosto de gente, de me relacionar e da proximidade e a internet faz muito isso. Durante 18 anos, eu tive um site em uma época que nem existia a palavra blog. Então, eu acho que essa é uma característica minha mesma”, acrescentou.

A atriz acredita que haja um filtro nas redes sociais que impacta no que deve ou não ser publicado (Foto: Mariana Viana)

Desta relação tão intima de opinião e internet, Luana Piovani hoje é mais um exemplo de celeb no Youtube. Há três meses, a atriz comanda o canal #LuanaSemFreio que, como o nome já sugere, não tem assunto proibido, tabu e nem indelicado. Por lá, ela fala sobre o que ela quer, como ela quer e para quem quiser ouvir. “Não gostou? Vai procurar a sua turma”, adiantou a atriz no vídeo de estreia. Em relação ao novo projeto, Luana contou ao HT que a ideia surgiu após a atriz identificar uma lacuna na sociedade contemporânea. “Eu vejo o canal como uma forma de levar a minha verdade até as pessoas. Para mim, a sociedade está ficando muito carente de humanidade e cumplicidade. E eu sempre fui da verdade. Então, quando eu entendi que as pessoas precisavam do que eu gosto de fazer, eu percebi que era uma boa ponte para eu investir neste projeto”, explicou.

No canal, Luana se divide entre a leitura do jornal do dia, as perguntas dos seguidores e temáticas propostas por quem assiste. Aliás, esta interação virtual é a grande estratégia e fonte de conteúdo do #LuanaSemFreio. “Eu costumo brincar que eu nunca estive tão obediente como agora com o canal. O público pede os temas e eu tenho uma equipe que um levantamento. Tudo o que eu falo é a audiência do canal que manda”, explicou a atriz que se sente livre – e sem limites – para comentar de traição a sexo anal. “Dizer o que eu penso é uma característica forte minha que eu tenho há anos. Na época do meu site, eu escrevia sobre livros e peças que eu tinha gostado, mas também sobre comportamentos e situações que eu via e não gostava. Ou seja, transformar pequenos momentos em causas sempre foi uma proposta na minha vida”, destacou.

Se ela tem medo da repercussão? Que nada! Para Luana Piovani é bom que hoje todos tenhamos voz. Segundo a atriz, a liberdade dos comentários permite uma troca de experiências maior nos dias de hoje. E ela garante: nunca se arrependeu de nada que falou ou fez na vida. “Eu acho justo e maravilhoso todo mundo ter voz. Assim, as pessoas conseguem se aproximar mais da justiça, uma vez que todos sabem o que está acontecendo. Eu nunca me arrependi de nada do que eu fiz ou falei, sempre tiro proveito dessas situações. Eu prefiro evoluir”, disse.

Nessa evolução pessoal, Luana Piovani também transcende no âmbito profissional. Lembra que este é o momento das mulheres empoderadas da carreira da atriz? Pois bem. No teatro, Luana estrela a peça “E se eu não te amar amanhã?”, que fica em cartaz no Teatro Leblon, no Rio de Janeiro, até dia 2 de julho. No espetáculo, a atriz narra um relacionamento recém-acabado e, em um momento da peça, dá vida a uma garota de programa transexual. “A Suelen é uma pequena parte da peça, que eu costumo chamar de cereja do bolo. Apesar de ser só uma graça, é o momento que eu mais gosto do espetáculo. Ela não tem pretensão nenhuma, é uma fantasia. Então, isso me permite fazer com que ela seja múltipla”, explicou.

Por sinal, a diversidade de temas está cada vez mais presente nas produções culturais. A transexualidade, por exemplo, que até pouco tempo nem fazia parte das discussões, hoje já está na novela do horário nobre da Globo e em diversas peças de teatro. Sobre essa atualização, Luana acredita ser um processo natural. “Quando a gente escolhe falar de um tema contemporâneo, temos que destacar discursos que nos cercam. Então, fica leviano se a gente ignorar essas temáticas. A transexualidade já é bastante comum hoje em dia. É normal e, por isso, precisa ser falada no teatro, na televisão e qualquer outro lugar”, opinou.

O que não está normal, como destacou a atriz, é a crise política e econômica pela qual o país está passando. Com este panorama conturbado como plano de fundo, Luana Piovani destacou a dificuldade – ainda maior – para continuar vivo no mercado artístico. “Sempre foi muito difícil, mas, com essa crise, está ainda pior. O Brasil não tem o hábito do teatro. A gente não tem peças nas escolas, formação de plateia e nem estímulo para isso. O governo não incentiva nem a produção de teatro e nem a população a ir ver as peças em cartaz. No fundo, é como se a gente quisesse trabalhar com o desconhecido, o ignorado”, desabafou Luana que afirmou não se intimidar. “Está difícil para fazer, mas eu nunca tive medo dos desafios. Então, segue o baile”, completou.

Porém, em contrapartida, ela confessou que se sente animada com o desfecho deste momento de caos. Para a atriz, o saldo futuro desta crise tupiniquim será proveitoso para a sociedade. “Eu acho que ainda vai demorar uns 10 ou 15 anos, mas, no futuro, o Brasil vai dar uma evoluída considerável. A sensação que eu tenho é que o brasileiro entendeu que ele tem a rédea do país nas mãos. Somos nós que votamos e que mandamos em tudo. E, quando algo parece estar dando errado, nós já mostramos que temos força para ir às ruas e pedir para sair”, argumentou.

Aliás, força ela tem de sobra. Seja para levantar suas bandeiras ou para seguir a carreira plural, Luana Piovani se desdobra desde sempre. E, se tudo parece ir na contramão, a atriz se reinventa e surge sempre com novidades. A da vez, como nos adiantou, é a volta de Luana para a telinha. Longe das novelas desde 2012, quando fez “Guerra dos Sexos” – nos últimos tempos a atriz tem se dedicado às séries –, Luana Piovani contou que foi convidada para a próxima trama de Aguinaldo Silva na Globo e que já aceitou o trabalho. “Eu acho que vai ser divertido. Pelo pouco que eu sei, é sobre realismo fantástico. Só isso já é bastante curioso, né? Nós vamos lidar com algo que não é comum, é bem lúdico. Eu acho ótimo”, contou a atriz que, para completar a trinca de mulheres empoderadas, estreia o longa “O Homem Perfeito” em novembro.

Pesquisas relacionadas

  • Will RJ

    Lixo golpista.

  • Rendevous Point

    Bonita, mas as bobagens que fala acaba com a beleza… e olha que pra acabar com uma beleza dessas, tem que ser ruim demais…

  • Ligadeatletismo Maia

    Piriguete interessante. Um pouco chata, mas interessante. Pelo menos a cabeça dela tem um pouco de conteúdo.

  • Fernanda Lima

    Bruxa véia!

    • Barbara Elliza

      Ah!!!! Recalcada.