Teatro & Pensata

A comédia “Neura” chega ao Rio de Janeiro retratando dramas cotidianos das grandes cidades

Com bom humor, Regiana Antonini transforma fatos da rotina de todo mundo em texto teatral. Marcio Lima, um dos atores do elenco, conversou com a gente

Publicado em 13 de março de 2017 | Por Rodrigo Cohen

A rotina na cidade grande é algo capaz de enlouquecer qualquer ser humano: quem nunca ficou com um medo que depois percebeu ser irracional? Ou saiu atrasado e já estragou o dia inteiro? Aquele stress típico de quarta-feira quando você já está no meio da semana e tem milhares de compromissos? E aquele cheiro que já te embrulha o estômago e faz sua cabeça se desconcentrar de tudo? Foi pensando na vida agitada das metrópoles e na transformação das pessoas nesse novo meio de vida que Regiana Antonini escreveu a peça “Neura”.

A autora já assinou projetos estrelados por grandes nomes como Lilia Cabral, Rosamaria Murtinho, Suzana Pires, Fernanda Rodrigues, Cissa Guimarães e outros nomes. Seu principal motor sempre foi transformar a vida cotidiana em arte, de forma que todos que assistem aos seus trabalhos conseguem se identificar com as histórias contadas. Os personagens criados por ela são pessoas comuns que estão na padaria, na praia, nos parques e no trabalho. Dessa vez, o texto partiu de um ponto não muito distante: ela mesma e as próprias neuroses. Nem por isso é um projeto autobiográfico, Regiana percebeu através da sua observação que todos estavam neuróticos junto dela.

“Neura” é composto por oito esquetes com uma linguagem descontraída e divertida que visa retratar esse quadro observado por Antonini. Depois de uma temporada de sucesso em São Paulo, a produção desembarca no Rio de Janeiro para uma curta temporada nesse mês. O elenco é composto por Brenno Leone, Josie Pessoa, Thaissa Carvalho, Leo Castro e Marcio Lima. A direção é assinada pela própria Regiana. Marcio parou um pouco da rotina de ensaios para falar com o HT:

“A experiência em São Paulo foi muito boa e a perspectiva é que voltemos ainda esse ano para lá. Estamos animados aqui para o Rio”,  comentou. Já sobre o preparo para a peça, ele contou que foram dois meses de ensaios com preparação corporal. “Tivemos dois meses diretos de ensaio aqui no Rio. Além da direção da Regiana, fizemos a preparação corporal com a Kika Freire. Foi ótimo”, explicou.

O ator que divide seu tempo entre o teatro e a produção de eventos comenta a dificuldade na crise de se conseguir patrocínio. “É muito mais difícil. A gente teve o apoio da Porto Seguro, que foi o que viabilizou a peça. Se não, não tinha como. Mesmo assim é um patrocínio só para cobrir os custos de cenário e figurino. No setor dos eventos não sentimos tanto. As pessoas continuam indo para bares e festas para se distrair”, ressaltou. Ele completou, ainda, dizendo que nunca precisou trabalhar com patrocínio para eventos e que só é difícil conciliar as duas carreiras quando está fora do Rio em cartaz.

Sobre o elenco, Marcio disse que por mais clichê que possa parecer eles são todos muito amigos e se dão muito bem. “Até pela boa convivência prefiro não produzir as peças que eu faço, porque muda a relação com o elenco. Deixo de ser mais um ator para me tornar o produtor da peça. Não me sinto muito confortável com isso”, explicou. As neuras pessoais de cada um variam entre esquecer o texto e chegar atrasado, mas o ator confessa uma das suas pessoais que deixam ele desconcertado.

“No dia a dia dos ensaios, as neuras vão de esquecer texto a chegar atrasado. Coisas de todo ator, mas na vida eu tenho muito pavor de avião. Eu fico neurótico. Tinha uma época que eu tinha que fazer ponte aérea e ia toda sexta e voltava na segunda. Era tão curto que nem podia pedir a ajuda de um remedinho, que é o que faço quando viajo para fora”,  divertiu-se Marcio.

“Neura” segue em cartaz no Teatro Miguel Falabella, Norte Shopping em curta temporada até o dia 23 de Abril de 2017. As sessões são sexta às 19h e sábado e domingo às 18h. Ingressos a partir de R$25,00.

Pesquisas relacionadas