Teatro & Pensata

Com currículo repleto de personagens, Kacau Gomes faz Fantine no clássico musical da Broadway Les Misérables em São Paulo

Em cartaz até o final do ano em São Paulo, a peça é sucesso de público e crítica. A atriz, dubladora e cantora que faz a protagonista do espetáculo já emprestou a voz para os filmes Mulan, Hécules, A Princesa E O Sapo, Rei Leão, Shrek, O Príncipe Do Egito e Barbie

Publicado em 7 de setembro de 2017 | Por Ana Clara Xavier

Uma das vozes mais conhecidas do Brasil sobe aos palcos para brilhar ao som de I Dream A Dream, no clássico musical da Broadway, de Victor Hugo, Les Misérables. Pode ser até que você não conheça Kacau Gomes, mas com certeza já ouviu falar dela através de personagens distintos como a princesa da Disney, Mulan. A atriz, dubladora e cantora é a protagonista da peça com sucesso de crítica em São Paulo, com várias indicações a prêmios. Fantine é um dos papéis mais icônicos do teatro que foi recentemente representado, nos cinemas, por Anne Hathaway que ganhou o Oscar por sua brilhante atuação. “Os Miseráveis é um clássico dos clássicos. Minha personagem é um papel que toda a atriz de musical amaria fazer. Além disso, canto a música mais conhecida do gênero que é a I Dream A Dream que ficou conhecido na voz de Susan Boyle, a segunda colocada no programa Britain’s Got Talent de 2011. É uma honra, uma responsabilidade e um peso muito grande interpretar esta mulher, todos os dias que chego ao teatro agradeço a Deus por isso. Nada vem fácil nesta vida, é uma batalha continua e diária e eu consegui estar neste papel”, comemora a atriz. Com mais de 23 anos de carreira, o processo seletivo para esta peça foi o maior que já enfrentou com direito a mais de um ano de espera pelo o resultado e mais de quatro audições realizadas.

Fantine ficou famosa por ser uma personagem chocante que sofre muito durante todo o espetáculo. Sua história começa quando ela é despedida da fábrica onde trabalhava, sem ter como sustentar sua filha, deixa a criança com um casal e vai à procura de emprego. Nesta jornada, acaba se prostituindo, perde seus cabelos e sofre inúmeras agressões para enviar dinheiro à criança sem saber que a mesma está sendo maltratada por quem ela confiou. “Não tem um dia de espetáculo que eu não abrace uma pessoa emocionada que se lembra de alguma história pessoal ao assistir o musical. A peça é muito comovente até porque a Fantine morre em cena. Em sete sessões ao longo da semana se eu tocar o coração de alguém, já estou feliz, o meu trabalho já funcionou”, comemorou o sucesso.

Kacau Gomes vive na pele da mãe e trabalhadora Fantine (Foto: Rodrigo Negrini)

Assim como Fantine, Kacau deixa seu filho sob os cuidados de outras pessoas para poder trabalhar o que a atriz acredita ter sido um bônus que a ajudou a compor de forma mais bem estruturada a personagem. “Acho que o fato de ser mãe me ajudou a compor esta personagem. Tenho uma experiência muito próxima com o que a Fantine viveu, porque moro no Rio de Janeiro e preciso ocasionalmente deixar o meu filho para poder ir a São Paulo e trabalhar. Tenho a sorte de deixar ele sobre a proteção da minha cunhada, uma pessoa que cuida muito bem dele. Quando estou no palco, me coloco nesta responsabilidade de imaginar quantas mulheres no Brasil se sacrificam para dar uma vida melhor à suas crianças. No entanto o que faço não é um sacrifício por amar meu oficio, muitas pessoas não têm essa possibilidade, como ela que se prostitui. Por isso tento colocar o máximo de verdade nas minhas falas quando piso no palco, porque sei o que é querer dar uma vida melhor a um filho”, confessou Kacau. A atriz fica na capital paulista de quarta a domingo se dedicando ao musical. Obviamente, a produção da peça não a escolheu por ser mãe, mas a cantora acredita que este fato trouxe uma carga emocional mais profunda para a sua personagem, o que ajudou na conexão e melhor composição. “Um diretor intuitivo perceberia que os sentimentos dela estavam à flor da pele em mim”, acreditou.

Por ser mãe, a atriz acredita ter uma relação com a personagem (Foto: Rodrigo Negrini)

I Dream A Dream é uma das canções mais repercutidas do espetáculo e já foi reverberada por diversas vozes, como Charlotte Gainsbourg, Anne-Marie Coffinet e, a mais recente, Anne Hathaway. O momento que a melodia começa é um dos mais esperados pelo público por ser um momento em que a personagem descobre ter sido abandonada pelo marido. “No cinema, a história dela é contada em um bloco só enquanto que no musical é fragmentado. A carga de sentimentos que tenho ao cantar I Dream A Dream é menor do que a Anne Hathaway. Assisti diferentes abordagens do musical, mas me baseei nas minhas próprias escolhas usando a intuição pelo fato de ser mãe. Busquei encenar o mais próximo possível da minha realidade. Busquei a referência em mim mesma”, explicou a atriz mostrando que a cena não será a reunião de tantas emoções como no filme de Hollywood. Desta vez, as músicas serão cantadas em português para que o público compreenda o espetáculo já que, por ser um musical, a letra é muito importante para o entendimento do enredo. Será aproveitado a tradução já existente com apenas algumas alterações no vocabulário na busca de atualizá-lo.

Além desta, Kacau canta outras seis canções em Les Misérables, como At the End Of The Day e Lovely Ladies. Para lidar com esta carga de responsabilidade ela precisou tomar alguns cuidados para que sua voz continuasse boa durante todas as cenas. Diferente de outros cantores, nunca precisou deixar de consumir algo para poupar o organismo como deixar de beber água gelada, tomar café ou comer chocolate, seus cuidados estão relacionados à respiração. “O ar em São Paulo é mais seco do que o do Rio de Janeiro. Preciso estar sempre com um umidificador do lado, principalmente, na hora de dormir e fazer nebulização quase diária. Se a peça fosse onde moro seria mais fácil e não precisaria deste esquema. Estar doente é um problema neste tipo de peça, pois a gripe pode comprometer a voz. Por causa dessa precaução toda a vida social fica um pouco abalada, porque não posso ir na sexta-feira, depois do espetáculo, tomar uma cerveja com os amigos, já que no final de semana tenho duas sessões que exigem muito de mim. É preciso ter cuidado, não dá para vacilar, pois posso comprometer toda a produção”, contou.

A atriz já emprestou a voz para os filmes Mulan, Hécules, A Princesa E O Sapo, Rei Leão, Shrek, O Príncipe Do Egito e Barbie (Foto: Rodrigo Negrini)

Fora os cuidados básicos, ao ser escolhida para fazer a Fantine, ela não precisou fazer muitas aulas de preparação vocal já que possui uma extensa carreira no ramo musical. Kacau já cantou ao lado de Marisa Monte, Ivete Sangalo e Carlinhos Brown o que a fez estar muito preparada para receber esta personagem. “Sempre fui cantora na minha carreira artística, tenho músicas famosas na Europa que já foram temas de novelas nacionais. Já emprestei a minha voz para diferentes desenhos desde meus quinze anos. Meu timbre já é preparado musicalmente apenas o aperfeiçoei em alguns tons. O fato de estar o tempo todo trabalhando com isso faz com que eu já saiba como usar devidamente as minhas cordas vocais”, relembrou.

A atriz já emprestou a voz para os filmes Mulan, Hécules, A Princesa E O Sapo, Rei Leão, Shrek, O Príncipe Do Egito e Barbie. Na grande maioria dos desenhos, ela precisou cantar alguma canção o que prova a qualidade vocal desta dubladora. “As pessoas dizem que fecham os olhos e sentem que conhecem a minha voz de algum lugar e quando leem o meu currículo percebem de onde se lembram”, brinca. Em sua preparação para cada longa, ela precisa alterar um pouco seu timbre vocal para que os personagens não pareçam ter sido feitos pela mesma pessoa. “Existe uma diferença em cada um. Como a Tiana, por exemplo, de A princesa e o Sapo, a trama se passava em Nova Orleans e, por isso, colocamos um timbre de voz mais grave. O truque era gravar as cenas faladas assim que eu acordava por causa da rouquidão e as cantadas depois do final do dia por precisar da voz aquecida”, confidenciou.

Apesar de não saber qual trabalho se envolverá depois que o musical terminar, Kacau está muito empolgada para testes que envolvam a produção de uma minissérie que afirmou ser seu próximo objetivo laboral. Atualmente, se dedica totalmente a Les Misérables, mas pretende se programar para gravar alguma produção no ano que vem.

Kacau Gomes afirma ser uma honra atuar em Les Misérables (Foto: Rodrigo Negrini)

Serviço

Les Miserables – Teatro Renaut
Av. Brigadeiro Luis Antonio, 411 – SP
Data 10 Mar a 10 Dez
Quintas e Sextas, às 21h | Sábados, às 16h e 21h | Domingos, às 15h e 20h

Pesquisas relacionadas