Teatro & Pensata

Agenda Cultural: Festival Sai da Rede chega ao CCBB no Rio de Janeiro nesse fim de semana com line up arrasador. Quer mais? Vem!

Outros eventos musicais invadem a cidade, mas o cinema e o teatro não ficam para trás com as suas estreias | LER MAIS

16/03/2017 às 15:23 POR: Rodrigo Cohen

Conhecido por dar espaço a artistas que estão em ascensão, o Festival Sai da Rede chega ao CCBB do Rio de Janeiro nesse fim de semana antes de viajar por mais quatro cidades Brasil afora. Entre os nomes presentes nessa edição encontram-se Chico Chico com sua banda 13.7, Rubel, As Bahias e A Cozinha Mineira, Mahmundi, Carne Doce e outros nomes da cena musical independente. A curadoria e organização do festival é assinada por Pedro Seiler, da produtora Queremos!, e Amanda Menezes, da Tema Eventos Culturais.

“Para o Sai da Rede, desde o seu início, em 2010, o que interessa é o artista ter um trabalho consistente, que nos chame atenção pessoalmente, que nos faça acreditar que vá ter uma carreira longa a partir de sua participação no festival. Temos vários exemplos nesses anos para contar isso. E claro, utilizar as ferramentas digitais disponíveis para divulgar seu trabalho, dialogando com as novas possibilidades tecnológicas que mudam rapidamente. Felizmente estamos tendo uma quantidade muito grande de excelentes artistas, de diferentes segmentos e regiões. As opções foram muitas, tínhamos uma lista de uns 30 nomes finais”, explicou Seiler.

Banda Carne Doce abre o festival ao lado de Julia Vargas nessa quinta-feira.

O produtor ainda falou mais sobre abrir espaço para que novos artistas mostrem o seu talento e arte para o público. “Achamos que é um espaço importante para novos artistas, e temos alguns exemplos, como Tulipa Ruiz, Tiê, Silva, Cicero e BaianaSystem, que passaram por edições anteriores do festival e de lá para cá cresceram bastante. Sempre tentamos mostrar um quadro do que está acontecendo no país e nesse ano a ideia é dar ainda mais espaço a artistas de segmentos distintos e diferentes regiões do país. Aqui no Rio teremos a eletroguitarrada paraense de Lucas Estrela; os goianos do Carne Doce; a paulista Tássia Reis, que trafega entre o rap e o reggae; o R&B de Mahmundi; a contundência e lirismo de As Bahias e a Cozinha Mineira; a MPB de Julia Vargas, que é carioca, assim como Rubel; e a mistura de rock, blues, samba e tropicalismo, do 13.7, nova banda de Chico Chico. Acho que é uma boa mostra do que há de frescor na música brasileira em 2017″, enumerou Pedro.

O agitador cultural ainda destacou a importância dos preços populares e do apoio financeiro para a realização do evento. “Na formação de plateia, principalmente no segmento de novos artistas, os preços populares são sempre muito importantes. Ter o patrocínio do CCBB é fundamental para a realização do Sai da Rede. Os centros culturais têm um papel imprescindível para tal, especialmente num momento de crise”, ressaltou. O músico Chico Chico, filho de Cássia Eller, da banda 13.7, afirmou estar muito contente com a participação no evento. “Vamos trabalhando e trocando uma ideia ao mesmo tempo. A gente gosta de tocar todo mundo junto. Vai ser muito legal ter a experiência de se apresentar no mesmo dia que o Rubel que é um artista que todo mundo fala bem. Acho que a 13.7 vai surpreender bastante com seu estilo de composição”, anunciou.

As Bahias e A Cozinha Mineira

Já As Bahias e A Cozinha Mineira falaram sobre a relação e a alegria de tocar no Rio de Janeiro mais uma vez. “O Rio é uma cidade lírica. A gente ama o Rio de Janeiro. Já fizemos um clipe só com imagens da cidade. É uma cidade extremamente musical e isso me impressiona toda vez que tocamos aí. O nosso show de agora é o Etc. e tal e ele está concorrendo ao prêmio Bravo. Temos uma super equipe produzindo, inclusive o figurino é do carioca Fernando Cozendey. Nós projetamos esse show como um espetáculo. Vamos chegar com muita energia para essa apresentação. Estamos muito felizes de tocar na mesma noite que a Mahmundi que é uma cantora e produtora que admiramos imensamente”, falou Assuscena, vocalista do grupo.

Cinema

La Vingança – Dois amigos caem na estrada com destino a Buenos Aires com uma missão: conseguir ficar com o maior número de mulheres possível. Isso tudo é um plano para lavar a honra de Caco, um homem de trinta e poucos anos que pegou sua namorada na cama com um argentino. No elenco, Felipe Rocha, Daniel Furlan e Leandra Leal. A direção é de Fernando Fraiha.

A Bela e a Fera –  Chegou um dos aguardados remakes do ano! Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela (Emma Watson) tem o pai capturado pela Fera (Dan Stevens) e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade dele. No castelo, ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é, na verdade, um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana. Disney nunca decepciona.

Estopô Balaio –  O trabalho do coletivo Estopô Balaio, grupo teatral que há cinco anos desenvolve um processo artístico a partir das experiências dos moradores do Jardim Romano, bairro localizado na periferia de São Paulo, com as águas das enchentes que assolaram suas vidas durante dez anos.

Teatro

Eugênia –  A peça partiu do texto de Miriam Halfim que investigou a vida da amante de D. João VI. Quem encarna o papel de Eugênia e narra os trágicos fatos de maneira irônica e humorada é Gisela De Castro. A peça estreia esse sábado e ficará até o dia 26 de março. Todo sábado (20h) e domingo (19h) no Espaço Furnas Cultural.

Mulheres de Buço –  O coletivo feminista que vem conquistando seu espaço no teatro carioca chega agora a um dos teatros mais tradicionais do Rio de Janeiro: O Tablado. A estreia vai ser esse sábado e elas ficam em cartaz até o dia 21 de abril. Todo sábado e domingo às 21h. A direção é de Julia Stockler e Laura Araujo.

Eu (Quase) Morri Afogada Várias Vezes –  A montagem conta a vida de seis mulheres e as situações abusivas que elas passam ao longo da vida. É a primeira produção do Coletivo As Minas. Estreia essa sexta e fica em temporada até o dia 24 de abril na Sede da Cias. De sexta a segunda, sempre Às 20h.

Veja mais: Coletivos feministas invadem a cena teatral carioca: conheça As Minas e As Mulheres de Buço

Ponte Golden Gate – Uma comédia que nasceu da tragédia. 6 pessoas vão até a Golden Gate Bridge, em São Francisco, para se suicidar. O que será que as levou até essa situação extrema? Em cartaz no Teatro Ipanema, toda quarta e quinta às 20h.

Veja Mais:Inspirado por Marília Pêra, o jovem Igor Cosso embarca em temporada com a peça “Ponte Golden Gate”

 

Shows & Eventos

Super Violão Mashup – Festival na zona sul carioca pretende mostrar o processo de mixagem das músicas ao vivo para o público. Toda sexta e sábado entre o dia 17 de Março e o dia 1º de abril de 2017 às 21h no Oi Futuro Ipanema.

Veja Mais:Super Violão Mashup propõe encontro entre “banquinho, voz e violão” e sintetizadores. Confira a programação!

Novos Baianos – Uma das bandas mais amadas pela população brasileira vai se apresentar nessa sexta-feira, dia 17 de março, na casa de shows Metropolitan, Barra da Tijuca. Ingressos a partir de R$50.

Festa Realmente Som Edição 4 – A festa que acontece mensalmente chega a sua quarta edição com cinco shows (Luciano Strazzer, Laura Finocchiaro, Ana Frango Elétrico, Mari Romano e Daíra). Vai ser no dia 18 de março das 23h Às 15h no Casarão Floresta, Cosme Velho.

Mais uma semana onde o Rio de Janeiro se mostra um dos melhores lugares para se morar em termos de programação cultural. Teatro, música, festas e filmes para todos os gostos. Aproveitem!

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterGoogle+0
TAGS , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também