Quotes

Atriz Letícia Sabatella entra com processo por danos morais contra um grupo de paranaenses que a agrediu em protesto em Curitiba

A nota saiu no blog do colunista da Globo, Ancelmo Gois. A atriz abriu a ação na 26ª Vara Cível do Rio contra os réus Gustavo Pereira Abagge, Marli Terezinha Rossi e Eder Fabiano Borges Adão

Publicado em 17 de maio de 2017 | Por Ana Clara Xavier

A atriz Letícia Sabatella entra hoje com uma ação por danos morais por conta de um episódio no qual ela afirma ter sido chamada de ‘puta’ e ‘vagabunda’ ao atravessar um ato de direita em Curitiba, no dia 31 de julho de 2016. Os acusados de integrar o grupo seriam os paranaenses Gustavo Pereira Abagge, Marli Terezinha Rossi e Eder Fabiano Borges Adão. O processo foi aberto na 26ª Vara Cível do Rio e deferida pelo a advogado Paulo Petri. Segundo o colunista Ancelmo Gois, a acusação afirma que os réus teriam arremessado tinta na atriz que atingiu o rosto, cabelo e roupas, “além de lhe empurrarem em flagrante constrangimento físico”.

(foto: divulgação)

Na época, Sabatella postou um vídeo nas redes sociais mostrando o que teria acontecido durante a manifestação pró-impeachment. Os agressores carregavam faixas com a mensagem “República de Curitiba”, enquanto a xingavam. Ainda na gravação Gustavo Abagge a chama de ‘puta’ e agride a atriz. Uma mulher aparece aos gritos chamando Letícia de comunista. “Comunista, cria vergonha. Nossa bandeira jamais será vermelha. Sem vergonha, acabou a mamata para vocês. Chora petista”, proferiu. Contra as acusações, a atriz apenas diz que as pessoas não eram democráticas. Sabatella escreveu, ainda na internet, que não tinha participado do protesto. “Não fui provocar ninguém, passava pela praça antes de começar a manifestação e parei pra conversar com uma senhora. Meu erro. Preocupa esta falta de democracia no nosso Brasil. Eles não sabem o que fazem”, afirmou.

Alguns políticos se manifestaram a favor da atriz. Entre eles, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e o ex-senador Eduardo Suplicy (PT). Nas redes, várias pessoas enviaram mensagens consolando a artista.

Leticia Sabatella em editorial (foto: divulgação)

Segundo o site Pragmatismo Político, o empresário Gustavo Pereira Abagge é filho do Nicolau Elias Abagge, ex-presidente do Banestado, do Paraná. O banco, de acordo com o site, teria passado por vários escândalos de corrupção, em 1998. Ele é acusado de enviar grandes quantias para o exterior. Na CPI, o banqueiro recebeu apenas dez anos de prisão.

 

 

Pesquisas relacionadas

  • josé carlos perez

    “Ao atravessar um ato de direita”. É mais ou menos como torcedor do fluminense entrando na geral do flamengo. O que ela esperava?; flores e elogios?. Se um direitista atravessar uma manifestação de esquerda, o que vocês acham que vai acontecer?. Gente quem brinca com fogo acaba se queimando, obvio.

close-link