Quem Somos

HELOISA TOLIPAN

Carioquíssima, daquela de alma e corpo, mas que também adora fugir para Petrópolis nos finais de semana, tem 29 anos de jornalismo no currículo. O Jornal do Brasil sempre foi sua casa desde muito cedo, quando dividia o tempo entre os pilotis da PUC-Rio e a redação. De lá para cá, um Prêmio Esso e incontáveis histórias como colunista e editora de moda. Semanas de lançamento de coleções nacionais e internacionais, festivais de música e cinema, ‘get togethers’ e os nomes mais badalados da sociedade brasileira são parte de sua praia jornalística.


JUNIOR DE PAULA

Jornalista, trabalhou com alguns dos maiores nomes do jornalismo de moda e cultura do Brasil, como Joyce Pascowitch e Erika Palomino, e foi editor da coluna de Heloisa Tolipan, no Jornal do Brasil. Apaixonado por viagens, é dono do site Viajante Aleatório, da página de poesia Pensamento Aleatório e, mais recentemente, vem se dedicando também à dramaturgia teatral e à literatura.

 


VINÍCIUS PEREIRA

Repórter fotográfico, designer, videomaker com laboratórios em Paris, Israel, Egito e Londres. Como fotógrafo de arte contemporânea teve seu trabalho exposto em cidades da França, do Rio, Bahia, Pernambuco, Minas Gerais e Paraná. Atua como editor de vídeo e repórter fotográfico no Jornal do Brasil. A música é sua segunda paixão. É guitarrista e compositor há 12 anos, com passagem por várias bandas, assinando também a produção de shows.


JULIA PIMENTEL

Falante compulsiva e um pouco agitada demais, Julia escolheu o jornalismo para poder contar histórias e dar voz às pessoas. Matérias de comportamento, gente, gastronomia, moda e beleza são com ela mesma. Na rua, em questão de minutos, qualquer desconhecido tem potencial para se tornar um velho amigo – e quem sabe uma pauta. Estudante de Comunicação Social da PUC-Rio, a carioca de alma e niteroiense de nascimento e coração é curiosa, teimosa e (bastante) cara de pau. Afinal, nem sempre a vida é fácil e tranquila, né?


ANA CLARA XAVIER

Ana Clara Xavier pode ser descrita em uma palavra: intensa. Com ela, o copo é sempre mais cheio. Muito comunicativa, autêntica e curiosa, a virginiana afirma que o jornalismo a escolheu sem que percebesse. Começou a se interessar pela palavra escrita desde que aprendeu a ler, a gaveta cheia de diários e livros comprova sua teoria. Na adolescência, esbarrou com um texto de Caio Fernando de Abreu que reforçou sua vocação jornalística. Nunca teve medo de expressar seus pensamentos, na verdade, procura deixar claro que prefere roxo em vez de rosa. Há quem diga que ela consegue transformar qualquer história boba em uma tragédia shakespeariana.