Música & Badalo

Tropkillaz lança single que mistura funk com reggaeton: “Esta união veio para mostrar que música não tem rótulos nem barreiras”, comentou Zegon, um dos DJs do grupo

Loko é fruto de uma parceria da dupla de produtores com três grandes artistas: Major Lazer, Kevinho e o jamaicano Busy Signal. A canção possui elementos da música nacional e, ao mesmo tempo, tem uma releitura de uma batida clássica jamaicana, o Punanny Riddim, que ficou famoso no país na década de 80 e 90. Além deste lançamento, existe uma pretensão dos artistas em produzir uma versão inteiramente em inglês

Publicado em 13 de junho de 2018 | Por Ana Clara Xavier

Depois de emplacar grandes sucessos nacionais e internacionais, Tropkillaz lança o single Loko em parceria com três grandes artistas, Major Lazer, Kevinho e o jamaicano Busy Signal. A canção mescla brasilidade com o estilo de música latino. “Sempre achei que o funk casava bem com o Dance Hall e a sonoridade jamaicana e esta foi a nossa tentativa de unir os dois. O funk toca com 130 bpm e o estilo latino com 95 bpm e nós quisemos mostrar que funciona dos dois jeitos e se encaixam perfeitamente. Esta união veio para mostrar que música não tem rótulos nem barreiras e dá para agradar todos os lados”, comentou Zegon, um dos DJs e produtores à frente do Tropkillaz.

O ritmo principal de Loko, que deu forma a esta união, é uma releitura de uma batida clássica jamaicana, o Punanny Riddim, que os artistas acabaram imprimindo brasilidade ao ser tocado no cavaquinho.  “Basicamente são duas canções em uma. Começa de um jeito, muda durante a música e depois volta para a sonoridade inicial. Tivemos, inclusive, a preocupação que as melodias fossem iguais para também parecer uma conversa entre o português e o inglês. Existe uma transição que, inicialmente, achamos meio doido, mas deu certo”, explicou. Com base nesta mistura de ritmos e nacionalidade, os artistas têm a pretensão de fazer uma versão deste single totalmente em inglês.Para compor Loko, foram usados instrumentos básicos de percussão e guitarra, além de, claro, música eletrônica de qualidade.

O ritmo principal de Loko é uma releitura de da batida clássica, o Punanny Riddim (Foto: Jacques Dequeker)

O single Loko é fruto da parceria entre o Tropkillaz, o grupo Major Lazer e os artistas Kevinho e Busy Signal. O encontro aconteceu de forma muito orgânica e, em cerca de duas semanas, eles já haviam produzido a música inteira. “Major Lazer tem vários amigos meus de mais de 20 anos, nós trocamos muitas ideias e já tocamos juntos várias vezes. Foi uma união bem natural. Eles mandaram a melodia recriando em cavaquinho a batida jamaicana para o Busy Signal e ele devolveu só com a parte do Dance Hall. Tivemos a ideia de mandar em ritmo de funk. Na mesma hora, começamos a escrever a letra em português e o Kondzilla fez a ponte até o Kevinho. Está música surgiu muito rápido e fácil com poucas idas e vindas”, contou.

Há uma pretensão dos artistas em produzir uma canção toda em inglês (Foto: Jacques Dequeker)

Embora o clipe seja gravado em um ambiente fechado, havia uma preocupação dos artistas em valorizar a cultura latina e a jamaicana. Sendo assim, o background incluía as cores fortes da bandeira de ambos os países e o estilo de cada um. Alguns elementos que traçam este paralelo com a Jamaica, por exemplo, saíram de uma mostra que Zegon visitou sobre o país que rolou em São Paulo semanas antes das filmagens. “A gente sabia que não poderia viajar e seria praticamente impossível juntar todo mundo ao mesmo tempo devido a agenda de cada um, por isso a ideia de estúdio seria a melhor opção. Trouxemos muita cor e buscamos algumas referências em outros clipes”, comentou o DJ. Busy Signal esteve no Brasil para gravar as imagens ao lado de Laudz, Zegon e Kevinho. A filmagem aconteceu na capital paulistana e durou cerca de 14 horas. O vídeo foi dirigido por Jacques Dequeker e possui um clima descontraído e animado com direito a muitos dançarinos de diferentes idades e etnias. O trio do Major Lazer também aparece, mas as suas cenas foram capturadas em Los Angeles, nos Estados Unidos.

No clipe, eles tentaram trazer um pouco de brasilidade ao relembrar as bandas de pagode e samba (Foto: Jacques Dequeker)

Loko é o resultado de uma redescoberta da sonoridade latina no Brasil, já que há pouco tempo o estilo não era tão popular no nosso país. De acordo com Zegon, esta vontade de consumir mais canções dos nossos vizinhos acontece, porque os gêneros estão colidindo. “ A música pop, sertanejo e o funk estão bebendo da latina e misturando por isso temos canções do Luan Santana, Iza, Alok e Anitta com bit de reggaeton. A batida deles virou a mais explorada no mundo nos últimos três anos e isto refletiu aqui no Brasil. Estamos com menos barreiras e fazendo o que queremos”, salientou. Para ele, esta aceitação mundial do gênero irá acontecer com o funk também e a prova disso é que o próximo single da Jennifer Lopez tem este ritmo nacional.”Ainda virão muitas canções por aí de outros artistas”, completou.

Alguns elementos do clipe foram inspirados em uma mostra jamaicana que rolou em São Paulo (Foto: Jacques Dequeker)

Tropkillaz produziu grandes singles de sucesso que estão dominando a música nacional como Vai Malandra, da Anitta, e Tombei, da Karol Conka. De acordo com Zegon, o segredo deste sucesso é fazer melodias dançantes com conteúdo que as pessoas gostem. “Somos DJs, então quando estamos fazendo uma canção, naturalmente escolhemos pensando no que o público gosta. Podemos fazer algo diferente, mas a dica do sucesso é fazer sempre pensando no que as pessoas querem ouvir”, informou. Mesmo com esta seleção que visa o mercado, ele consegue selecionar o que quer que os outros escutem. “Como DJs, a gente sempre induziu um pouco as pessoas a gostarem do que quero, seja canções que ficaram esquecidas ou outras mais novas. Como somos de gerações diferentes, trago sempre o que há de melhor da minha e o Laudz traz o que mais lhe agrada”, informou.

Pesquisas relacionadas