Música & Badalo

Saindo do forno: Thiaguinho lança música “Energia Surreal do álbum “Só Vem”, que terá 20 inéditas, e documenta todo processo em websérie

Para o próximo trabalho, o cantor disse que passou por mais uma complicada escolha de repertório. No estúdio, Thiaguinho testou 39 faixas para a seleção final com 20. "Essa é a parte mais complicada de qualquer processo criativo. Eu tenho a missão de escolher músicas que vão fazer parte de toda a minha carreira daqui para frente e que também vão estar presentes na vida de diversas pessoas.

Publicado em 14 de julho de 2017 | Por Julia Pimentel

Desde quando lançou sua carreira solo, em 2012, Thiaguinho não tem deixado faltar novidade para seus fãs. De lá para cá, em todo ano, o cantor lançou um novo álbum e, dessa vez, não será diferente. Depois de “Tardezinha”, seu último trabalho lançado em janeiro de 2017, Thiaguinho prepara a próxima novidade: “Só Vem”. O disco, que terá 20 faixas inéditas, já começa a cair no gosto dos fãs já que nessa sexta-feira, o músico divulgou a primeira canção do novo repertório, batizada de “Energia Surreal”. A partir daí, serão quatro lançamentos com cinco músicas nas plataformas streaming até o álbum completo, quando também será lançado em versão física nas lojas. Para os ansiosos e curiosos, Thiaguinho abriu as portas dos estúdios onde gravou o álbum “Só Vem” e revelou algumas partes de seu processo de criação.

Na websérie que está sendo exibida em seu canal do YouTube, o cantor destaca diferentes peculiaridades que fazem parte deste processo que antecede o lançamento do álbum. Desde a construção do repertório à seleção final, passando pelo arranjo, Thiaguinho preenche a curiosidade de seus fãs que não sabiam como tudo funcionava. “Eu acho que a maioria das pessoas não fazem ideia do trabalho que existe por trás de um disco. E, as que fazem, queriam muito conhecer os bastidores de um estúdio e acompanhar todo esse processo. Eu mesmo sempre tive muita curiosidade em saber como funciona a escolha de repertório, o arranjo e tudo mais. Então, esta é uma ideia que está provocando diferentes reações, mas que, no geral, está sendo incrível. Principalmente para quem tem o sonho de gravar um disco, é uma oportunidade muito legal ver o Prateado (produtor do álbum) dirigindo, o Rodriguinho ajudando e eu cantando”, disse o músico sobre o processo que durou quatro meses.

Thiaguinho em editorial exclusivo para o site Heloisa Tolipan (Foto: Yuri Sardenberg e Ana Monteiro)

Com este tempero prévio do que será lançado em breve, Thiaguinho reconhece que a expectativa pelas novas músicas também aumenta. Entre uma cena e outra da websérie, o cantor revela alguns trechos que fizeram parte da construção do repertório e certamente serão sucesso na voz do músico em breve. “Eu tenho alguns amigos que já vieram me falar que estão muito mais ansiosos pelo álbum depois de acompanhar esse processo dos bastidores. Eu acho que quando a gente vê todo o trabalho que tem por trás daquele disco, tudo ganha um significado diferente. Não é só mais pegar o CD e escutar”, destacou.

Nesta experiência, além de suprir a curiosidade do público amante da música e de sua carreira, Thiaguinho também tem a sua intimidade criativa invadida por alguns milhares de olhares na internet. Tímido, o músico, que já contou diversas vezes que não gosta muito de se gravar no Stories do Instagram, por exemplo, garantiu não ter se incomodado com a presença das câmeras. “Era uma situação diferente. Elas estavam ali e a gente nem percebia. E isso foi o mais legal. Como não olhávamos para a câmera, ficou tudo muito natural. A gente não se preocupava em medir as palavras, escolher ângulo e etc. Foi tudo muito verdadeiro. Aí não tem como ficar tímido, né”, disse.

Não mesmo. Pior que as câmeras no estúdio, apenas a difícil missão de escolher o repertório de “Só Vem”. Neste processo, Thiaguinho precisou reduzir 39 músicas a apenas 12. Mas não deu. O próximo disco do cantor terá 20 faixas inéditas. “Essa é a parte mais complicada de qualquer processo criativo. Na traseira de um artista, a seleção é a fase mais delicada. Eu tenho a missão de escolher músicas que vão fazer parte de toda a minha carreira daqui para frente e que também vão estar presentes na vida de diversas pessoas. É um trabalho muito complexo e que precisa de um monte de gente engajada para que dê certo”, afirmou Thiaguinho que acredita que a experiência de quase 15 anos de carreira ajude neste momento. “Com o tempo, a gente passa a entender o que fica melhor na nossa voz e o que o seu público espera ouvir de você. Apesar desta dificuldade, é um momento que eu adoro. É uma delícia e eu sempre fico mega ansioso pelo resultado”, confessou.

Para o sucesso desta difícil, porém adorada etapa, Thiaguinho contou que recorre a opinião de amigos, familiares e da mulher, a atriz Fernanda Souza. Apesar de considerar cada música uma filha do novo projeto, o cantor garantiu que gosta de ouvir críticas sobre as faixas. Na verdade, quanto mais verdadeira for uma opinião, melhor. “Eu preciso ter discernimento e sabedoria para ouvir o que o outro tem a dizer. Quando eu estou fazendo um disco, eu sei que ele não é só para mim. Pelo contrário. Ele é para milhares de pessoas. E eu quero marcar a vida delas com músicas especiais. Então, quanto mais construtiva e sincera for uma crítica, melhor será para o resultado do disco”, argumentou Thiaguinho que, neste processo de seleção das melhores, já precisou deixar para trás músicas que adorava. “Eu tenho vários exemplos de canções que eu apostava muito e não gravei. Algumas delas estão tentando entrar no meu disco há uns cinco anos, outras desde a época do Exaltasamba”, contou aos risos o cantor que, como um desses exemplos, irá lançar “Sem Vergonha” no álbum “Só Vem” depois de algumas tentativas anteriores. “O bom é que música nunca estraga”, completou.

E este pensamento coletivo é de fato algo que norteia a carreira de Thiaguinho. Em um dos episódios de sua websérie, o cantor destaca que pode mudar a vida de alguém com uma de suas músicas. Não por acaso, o cuidado com a escolha do repertório é algo tão delicado para ele. Enquanto compõe, produz e grava, Thiaguinho contou que imagina histórias reais que poderão ser identificadas com a letra daquela canção. “Eu estou pensando em música o tempo inteiro. Para um compositor, é importante que ele esteja ligado nas histórias que as pessoas contam, nos filmes que assiste e nas conversas. Tudo pode virar música. Às vezes, as pessoas me param na rua para dizer que alguma letra minha é a trilha de um relacionamento. E não só amoroso. Em “A Amizade é Tudo”, por exemplo, muitos amigos se reconhecem e tem essa letra como um hino”, disse Thiaguinho que acredita que este retorno seja a melhor parte da carreira de um compositor.

Assim como suas músicas são inspiração para muitas pessoas, o cantor revelou que também tem uma longa playlist de canções especiais que marcaram momentos de sua vida. Na verdade, todo mundo tem na visão de Thiaguinho. “Eu acho que não sou só eu. Quem disser que não tem uma música especial está mentindo”, brincou o cantor que destacou que o pagode foi sua principal influência e referência. “Eu cresci ouvindo várias músicas que marcaram minha infância e minhas relações, como com a minha avó, por exemplo. Entre essas especiais está ‘Inaraí’, do Katinguelê. Quando eu ouvi essa música, eu descobri que era isso o que eu queria fazer para o resto da minha vida”, lembrou o cantor que sonha em regravar o clássico.

E Thiaguinho tem ainda mais motivos para se alegrar. Embalado por uma produção intensa de novas músicas, o cantor comemorou a fase próspera da carreira, que vai na contramão da atual realidade política e cultural do Brasil. Se por um lado alguns artistas sofrem com a falta de incentivo e recurso para suas produções, Thiaguinho passa por um momento sensacional, como ele definiu. “Eu amo fazer arte. Na minha opinião, o artista tem que levar alegria e, se neste momento o clima político é complicado, a minha missão é animar. Nos meus shows, eu sempre falo que, por pior que seja o problema que uma pessoa esteja passando, ela precisa aproveitar aquelas duas horas de música. Todo mundo tem problema, a fase é ruim para a maioria. Mas quando eu consigo um sorriso, me sinto realizado”, contou Thiaguinho que garantiu não saber explicar a sensação de estar em cima de um palco acompanhado por milhares de pessoas cantando a sua arte. “Eu gostaria que todos sentissem isso pelo menos uma vez na vida. É um reconhecimento absurdo ver tudo o que você sonhou e lutou sendo realizado. Quem trabalha com música faz isso porque tem um dom e, desde sempre, nós lutamos para ter atenção. No começo, é da nossa família, depois dos amigos na escola, no ambiente de trabalho. Quando conseguimos estar em cima de um palco e ouvir um coro da sua música, é sinal de que o esforço está valendo a pena”, explicou sem esconder a emoção. Muitos coros e aplausos, Thiaguinho!

Pesquisas relacionadas