Música & Entretenimento

Exclusivo! Diplo incendeia a Casa Fenomenal da Nike e conta para a gente sobre seus maiores sucessos

O DJ e produtor falou sobre suas colaborações com Katy Perry, Sia, Britney Spears, como conheceu o funk carioca e revela títulos de faixas inéditas de Beyoncé e do tão aguardado álbum de Madonna | LER MAIS

29/06/2014 às 07:13 POR: Alexandre Schnabl

*Por João Ker

Durante a noite desse sábado (28), a Casa Fenomenal, estrutura montada pela Nike na Zona Portuária do Rio de Janeiro durante a Copa do Mundo, recebeu a festa Wobble, uma das mais queridinha dos cariocas amantes de música eletrônica. Depois de ter feito edições gratuitas pelo Aterro do Flamengo e pela Praia do Leme, a balada recebe pela segunda vez um dos nomes mais importantes da cena eletrônica e pop do mundo inteiro: o DJ e produtor Diplo, que tem grande influência de ritmos brasileiros e  já fez dobradinha com nomes como Britney Spears, Katy Perry, Beyoncé e, atualmente, faz parte do seleto grupo que está trabalhando no próximo disco da rainha do pop, Madonna. Em entrevista exclusiva para o site HT, o americano conta curiosidades sobre os processos de gravações dessas superestrelas e revela, pela primeira vez, segredos de gravação.

Diplo tocando na Casa Fenomenal (Foto: Yago Barbosa)

Diplo tocando na Casa Fenomenal (Foto: Yago Barbosa)

Por volta da meia-noite, o público que lotava a Casa Fenomenal começou a dançar com uma empolgação mais frenética do que aquela demonstrada durante as horas anteriores de festa. Diplo havia tomado conta do som e, com remixes de grandes sucessos internacionais, como “Drunk In Love” (Beyoncé), “Tom Ford” (Jay-Z) e “Bucky Done Gun” (M.I.A.), misturados a clássicos e novos hits do funk brasileiro, que iam de “Eu Só Quero É Ser Feliz” (Furacão 2000) a “Beijinho no Ombro” (Valesca) e “Pinta o C* de Florescente” (Mc Marcelly), conseguiu fazer um setlist que deixava muitos DJs nacionais no chinelo. Depois de mais de duas horas com muita trap music, batidas alucinantes e muitas garotas fazendo twerk no palco, o americano sentou com a gente no camarim para um bate-papo sobre música,  cenário da música pop – para o qual ele já contribuiu bastante – e colaborações futuras.

Público da Casa Fenomenal enlouquecido com o som do DJ

Público da Casa Fenomenal enlouquecido com o som do DJ (Foto: Yago Barbosa)

A faixa “Paper Planes”, lançada em 2007, indicada ao Grammy de Música do Ano e gravada por sua então esposa M.I.A., pode ser considerada o primeiro sucesso da carreira do produtor. Depois disso, veio o carro-chefe do álbum “4″ de Beyoncé, “Girls (Run The World)”, um sucesso absurdo com seu duo de eletrônica Major Lazer, a música “Elastic Heart” em parceria com Sia e The Weeknd para a trilha sonora da franquia de “Jogos Vorazes”, uma relação profissional e amistosa com Madonna e outras colaborações para artistas do calibre de Britney Spears e Jennifer Lopez. Amanta do funk brasileiro, Diplo já produziu também para os grupos Bonde do Rolê e Banda Uó, além de estar sempre divulgando as novidades do cenário funk em seu twitter. Mas ele diz que isso não é nada de anormal: “Eu conheci o funk brasileiro há cerca de 12 anos, através do DJ Marlboro, que me apresentou o ritmo e me mantém atualizado com os lançamentos daqui. Eu não entendo exatamente o que as músicas dizem, mas não me importo. Eu vivo na Califórnia e, lá, as músicas também são sacanas”, explica o DJ em tom bem-humorado, enquanto descansava em seu camarim, minutos depois de ter encerrado o set na Casa Fenomenal.

"Na Califórnia nós também ouvimos músicas sacanas", diz Diplo, afirmando que não se choca com o funk carioca

“Na Califórnia nós também ouvimos músicas sacanas”, diz Diplo, afirmando que não se choca com o funk carioca (Foto: Yago Barbosa)

A maioria dos nomes que figuram atualmente no chart mundial da Billboard já passou pelas mãos e pelo computador de Diplo. O melhor exemplo disso é Iggy Azalea, a rapper branca que está há cinco semanas consecutivas com duas músicas no primeiro e segundo lugar da paradas (“Fancy”, com Charli XCX, e “Problem”, com Ariana Grande) e conseguiu se igualar aos Beatles como os únicos artistas a atingirem tal feito. O produtor trabalhou com Iggy ainda em 2012, quando a australiana não tinha uma gravadora para si e ainda estava nos estágios iniciais de uma carreira que, mais tarde, decolaria para o mundo inteiro: “Eu tenho essa coisa com rappers femininas que é muito forte, como foi com a Azealia Banks, uma artista bem pé-no-chão e bacana. Sinceramente, eu não achei que a Iggy conseguiria estourar, porque ela é branca. Mas ela acabou fazendo a coisa certa, gravando ótimas músicas e, agora, está fazendo esse enorme sucesso que ela tanto merece”, conta Diplo.

 

Mixtape “Trapgold”, trabalho lançado por Iggy em 2012 e parcialmente produzido por Diplo

Azalea conseguiu tamanho sucesso com seu primeiro LP, “The New Classic”, que descolou para si uma parceria no novo álbum de Jennifer Lopez, “AKA”. Coincidentemente ou não, Diplo é o nome responsável pelo novo single de divulgação do disco, a faixa “Booty”, mais uma parceria de J.Lo com o rapper Pitbull, na qual a cantora discorre sobre uma mulher que tem uma grande… uh… “poupança”: “Eu escrevi essa música com aquele Chris… o da Rihanna…”. Brown? “Isso, Chris Brown. Eu trabalhei com ele na música, nós enviamos para a Jennifer, ela gostou e gravou. Eu não cheguei a entrar em estúdio com ela, porque não é assim que essas grandes estrelas trabalham. Mas uma coisa eu posso falar: ela está com 45 anos e continua muito boa. Ela e Gwen Stefani“.

Jennifer Lopez – “Booty”

Gwen, vocalista da banda No Doubt e uma das recém-anunciadas juradas do programa The Voice, é por sinal a artista dos sonhos de Diplo: a cantora com quem ele gostaria de colaborar caso tivesse a chance. “Eu não penso muito nisso, nem me preocupo em escrever um hit. Mas se eu pudesse gravar com alguém, seria Gwen Stefani. Nós meio que trabalhamos juntos, mas foi com o No Doubt. Eu gostaria de trabalhar com ela como artista solo também”, confessa o produtor. A música à qual ele se refere é “Push And Shove”, segundo single do álbum mais recente lançado pela banda e que, coincidentemente, acabou se tornando o título do LP. “Cara, eu vou te contar que essa era uma música do Major Lazer [duo eletrônico comandado por Diplo] e que nós queríamos originalmente convidar a Gwen para os vocais. A faixa acabou indo parar no álbum do No Doubt por conta do Jimmy Iovine [um dos chefões da gravadora Interscope], um A&R que é bem babaca, por sinal”, desabafa Diplo.

No Doubt – Push and Shove (Feat. Busy Signal and Major Lazer)

O produtor está mais do que acostumado em trabalhar com nomes de peso da indústria musical. Em 2011, ele trabalhou com uma das maiores artistas de todos os tempos, Beyoncé Knowles, produzindo e escrevendo a queridinha dos fãs e das pistas de dança, “End Of Time”, uma faixa com pegada de “samba eletrônico” e o carro-chefe do álbum, o single “Girls (Run The World)”, com sample de “Pon de Floor”, originalmente gravado pelo Major Lazer. “Eu adoro ‘Girls’, é uma música absurdamente forte e que teve um grande impacto online. O time da Beyoncé sempre me convida quando está com um novo projeto”, conta Diplo em tom displicente, como se isso fosse algo comum na vida de todas as pessoas: receber ligações de Beyoncé. Mas será que ele então participou do tão-secreto e aclamado álbum surpresa que a cantora lançou inesperadamente em dezembro do ano passado? “Eu não cheguei a ir para o acampamento de compositores que ela fez, porque eu não faço esse tipo de coisa. Mas sim, eu escrevi algumas músicas que não entraram para o corte final, inclusive uma chama ‘Pound’, em parceria com a Sia“, revela o produtor, citando uma música até então desconhecida pelo público e composta em parceria com uma das autoras mais requisitadas dos últimos anos. A qual, diga-se de passagem, conseguiu emplacar uma música no “Beyoncé”, a balada “Pretty Hurts”, single que, por sinal, está na trilha-sonora da novela “Em Família”.

Beyoncé – Girls

Essa não foi a única vez que o americano e a compositora australiana colaboraram entre si. No ano passado, ambos se juntaram ao vocalista da banda The Weeknd para lançar a música “Elastic Heart”, na época uma faixa exclusiva da trilha sonora de “Jogos Vorazes: Em Chamas”. Mais tarde, os dois voltaram a se reunir nos créditos da música “Passenger”, o oitavo álbum de inéditas da princesa do pop Britney Spears, incluída no álbum “Britney Jean” e uma das únicas que parece ter agradado aos fãs da loira. “Eu e Sia escrevemos muitas músicas juntos – cerca de 40 – e nós temos uma ótima química para esse tipo de coisa. “Passenger” foi originalmente feita para o álbum “Prism” da Katy Perry – uma grande amiga minha -, mas acabamos entregando para Britney”, conta Diplo. E os rumores de que Britney não canta nem em estúdio são verdade? Como é gravar com a artista? “Eu não cheguei a entrar em estúdio com ela, porque não sou um grande produtor de vocais, eu trabalho mais com batidas. O que eu posso te dizer é que ela foi uma top performer há muito tempo, por volta de 2000 e 2001″, comenta o produtor, fazendo menção à época em que Brit entrou para a história quando subiu ao palco do VMA segurando uma cobra gigante no pescoço enquanto rebolava ao som do hit “I’m a Slave 4 U”.

Britney Spears – Passenger

Mas, entre as muitas músicas inéditas que o produtor guarda na manga, um grupo com certeza se destaca entre os demais: aquelas gravadas para o secretíssimo álbum da Rainha do Pop, Madonna, o 13º de inéditas da sua carreira. Até então, quase nada foi confirmado sobre a produção do disco, a não ser os nomes de supostos colaboradores e parcerias que Madge está tramando, os quais só foram descobertos por conta do Instagram da cantora, como Disclosure e Natalia Kills. O próprio Diplo postou fotos com a diva-mór há duas semanas em sua conta na rede social e, apesar das garrafas de rosé, ele diz que o trabalho fluiu perfeitamente: “Eu conheci a Madonna por causa dos seus filhos e, então, ela me convidou para uma festa. Nós acabamos escrevendo 7 músicas juntos”, revela Diplo, falando sobre o projeto pela primeira vez. “Eu não costumo me sentir pressionado a escrever hits, mas quando é uma artista desse calibre, é óbvio que eu quero puxar os limites um pouco mais e me superar. Uma das músicas que nós escrevemos é muito foda. Ela se chama “Bitch, I am Madonna” ["Vadia, Eu Sou a Madonna"]“, conta Diplo, mostrando que, mesmo com quase 60 anos, a mulher ainda se mantém no trono pop e não perdeu nem um pingo da sua irreverência no caminho.

"Eu nunca me preocupo em escrever um hit", comenta Diplo (Foto: Yago Barbosa)

“Eu nunca me preocupo em escrever um hit”, comenta Diplo (Foto: Yago Barbosa)

Talvez a música nem entre para a tracklist final do álbum ou talvez seja um grande sucesso como outras produções de Diplo. Isso só o tempo dirá. O que se sabe por enquanto é que o DJ tocará amanhã no Hotel Budweiser e rumores apontam que acontecerá uma gravação para o seu novo vídeo, provavelmente uma faixa extraída do álbum “Random White Dude”. O público do Pestana que se prepare, porque se a pista de dança ferver como aconteceu na Casa Fenomenal, aquela cobertura ficará pequena demais para os twerks das novinhas.

Abaixo você confere uma setlist feita pelo DJ exclusivamente para a BBC, na qual ele “sintetiza” o clima de Copa do Mundo e mistura vários hits produzidos por ele com clássicos do samba e do funk brasileiros:

BBC World Cup Mix

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Yago Barbosa

TAGS , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam
Leia Também