Música & Badalo

Ator e cantor, Bruno Gadiol fala abertamente de sua sexualidade, de seu primeiro single, ”Seu Costume”, e futuro na carreira

Lançado nesta terça-feira, 12, o clipe de ''Seu Costume'', parceria com Gabriel Nandes que conta a história de amor entre dois jovens rapazes, já é um sucesso nas redes, marcando quase 300 mil visualizações no youtube

Publicado em 14 de junho de 2018 | Por Thaissa Barzellai

Em um país onde as estatísticas de morte de LGBTQ representam as maiores do mundo, se posicionar e levantar a bandeira da causa é um ato político e de resistência. No entanto, para o ator e cantor Bruno Gadiol, a necessidade de espalhar amor e trazer representatividade desse grupo para a sociedade falou mais alto do que o medo. Nesta terça-feira, 12, o ator decidiu dizer publicamente que é gay por meio do clipe da música ‘’Seu Costume’’, parceria com Gabriel Nandes que conta a história de amor entre dois homens. ‘’Desde pequeno eu nunca vi alguém que eu pudesse olhar e falar que a pessoa era como eu. Então, eu espero que as pessoas assistam e se sintam representadas porque isso é muito importante.  Eu estou lendo todos os comentários do clipe no youtube e as pessoas estão falando ‘’Nossa, ali sou eu, é a minha história’’, inclusive meninas lésbicas que falam ‘’Obrigada, você está me ajudando muito, eu estou passando por um momento muito difícil de aceitação e eu vi esse clipe e de alguma forma eu estou me sentindo mais calma’’, sabe? Essa é a mensagem que eu quero passar, de que está tudo bem’’, conta.

O clipe, que foi inspirado em uma ideia que Bruno teve quando tinha 16 anos – mas que na época ainda não se sentia pronto para executá-la -, conquistou o coração do público, chegando a marca de mais de quase 300 mil visualizações em um dia. Para Gadiol, que estava ansioso para saber como seria a recepção não só do trabalho como também da notícia que deu, o resultado não poderia ter sido melhor. ‘’Ontem antes de eu apertar o botãozinho para lançar o vídeo eu até gravei um vídeo no celular para mim mesmo falando ‘Bruno, você vai lançar um clipe e isso é um vídeo pra você ter esse momento guardado de lembrança, é o seu último vídeo antes que as pessoas saibam’. Eu fiquei muito nervoso esperando os comentários e foi só coisa boa. Eu estou muito feliz com a repercussão real, principalmente das fãs, porque eu achei sinceramente que algumas iam desaparecer e sofrer muito com isso. Elas nem passaram por esse momento, elas mandaram vídeos chorando e falando que o clipe é a coisa mais linda. Então, eu estou sem parar de pular aqui e eu estou lendo tudo’’, conta.

Assim como para muitos fãs, o lançamento do clipe representa um momento muito marcante para a vida de Bruno como integrante da comunidade LGBTQ. Apesar de nunca ter tido problemas para entender a sua sexualidade, o jovem sabia que nem todo mundo seria capaz de assimilar e, portanto, se viu obrigado a esconder de algumas pessoas quem realmente era, de modo que viveu um período difícil. ‘’Eu tinha amigos muito próximos que eu não conseguia pular esse muro e falar para eles, então isso me prendia e me fazia um mal, me deixava com uma pressão interna. A minha família já sabia, mas eu não podia contar nada para ninguém, eu guardava isso dentro de mim. Isso foi muito pesado, me fez desenvolver ansiedade, me fez desenvolver coisas ruins em mim por ser uma pressão aqui dentro de mim que não tinha para onde sair’’, desabafa o cantor que enxerga o clipe como a sua libertação. Já na hora de se assumir para os pais, o jovem passou por uma experiência totalmente diferente. Com 15 anos, Bruno se viu apaixonado pela primeira vez e não conseguiu esconder a verdade para a mãe. ‘’Teve um dia que eu estava triste em casa porque tinha acontecido alguma coisa no relacionamento e minha mãe perguntou o que estava acontecendo e disse ‘’Filho, você está apaixonado?’’ e eu disse que estava e ela ficou muito feliz, ficou falando ‘’Meu filho está sofrendo de amor, que maravilha’’. Dois dias depois, eu estava caminhando com ela pelo condomínio e ela me perguntou se era um menino e eu disse que era. De primeira, foi um baque pra ela. Ela não fez nada de ruim, só ficou triste. Ela digeriu e hoje ela é a pessoa mais tranquila do mundo’’, diz. Já com o pai, o ator contou com a ajuda da mãe, que conversou com ele sobre o filho e com o tempo foi aceitando a situação.

Bruno Gadiol posa para ensaio fotográfico. (Foto: Well Retratos)

Embora estivesse ciente e orgulhoso da sua verdade desde sempre, Bruno Gadiol ponderou a decisão de lançar o clipe tendo em vista o impacto que isso poderia ter em sua carreira. No entanto, inspirado pelas histórias da jornalista Fernanda Gentil, que se assumiu em 2016, e do cineasta e produtor Fernando Grostein, irmão do Luciano Huck que se assumiu ano passado, Gadiol percebeu que era um risco que valia a pena correr. ‘’A gente pensou bastante nisso, mas é um processo que vale a pena passar. Eu acho que eu tenho que estar seguro da minha qualidade profissional independente da minha sexualidade. Eu já vi vários artistas falando sobre isso abertamente e que continuam trabalhando, então, sinceramente, eu acho que se alguém não quiser me contratar por causa disso vai ser um verdadeiro atraso e uma pena mesmo, porque eu acho que as emissoras, o teatro, a música, enfim, estão muito mais avançados para agir dessa maneira’’, declara. O ator ainda completou dizendo que, levando em consideração a conjuntura social do país, é preciso que haja esse tipo de representação nos veículos de massa a fim de gerar diálogo sobre o assunto. ‘’A representatividade é muito pequena não só na televisão como em tudo também. As pessoas tem que ver, tem que ouvir e falar sobre porque elas não falam sobre isso, mas é a partir do questionamento que a realidade começa a mudar, quando as pessoas pensam e discutem sobre.’’, conta.

Considerando que o Brasil está em um ano de eleição, Bruno acredita que seja necessário levar esse diálogo também para a esfera política, conscientizando o voto a fim de eleger representantes que contemplem os direitos dessa comunidade já que apenas 93 candidatos do Congresso levantam a bandeira LGBT. ‘’Eu não tenho uma opinião política certa e formada, mas eu tenho alguns nomes que eu sei que eu nunca votaria. Eu vou avaliar bem os candidatos, mas como o Bolsonaro, por exemplo, simplesmente não existe a menor possibilidade. Eu tenho um pouco de medo de pensar sobre o que pode acontecer se ele for eleito. Eu acho que temos que tomar cuidado e pesquisar bastante para votarmos com consciência, porque é uma coisa muito séria’’, reflete.

Como Guto, Bruno posa ao lado do seu interesse romântico na série, Benê, interpretada por Daphne Bozaski. (Foto: Divulgação)

Antes de entrar de cabeça nessa empreitada musical, Bruno Gadiol brilhou nas telinhas brasileiras como o Guto na última temporada de Malhação, que encerrou em março deste ano, marcando a sua estreia nas novelas. A experiência de estar envolvido em um clássico da teledramaturgia brasileira, apesar das dificuldades iniciais, como a rotina de gravações, transformou o jovem como artista. ‘’Foi enriquecedor demais. A rotina é muito intensa e a gente tem que entregar um material bom, porque temos um país inteiro assistindo, então a gente acaba evoluindo na raça mesmo. Eu cheguei lá um artista e saí outro, porque não tem como, você grava de segundo a sábado milhões de cenas. Isso me preparou muito para outros trabalhos’’, conta o ator que já está em processo de testes para viver novos personagens.

A vontade de ser ator surgiu de forma muito natural para o jovem: assistindo Mamma Mia, obra musical lançada em 2008 cuja trilha sonora são músicas da banda ABBA. ‘’Eu adoro teatro musical, o primeiro que eu assisti foi Mamma Mia. Eu fui com a escola assistir quando eles vieram pro Brasil e eu fiquei encantado. Queria saber quem eram aquelas pessoas, como que elas faziam tudo aquilo no palco. Eu lembro muito dessa sensação, eu fui pra casa no ônibus pensando nisso, porque eu nunca tinha conhecido ninguém que fizesse aquilo. Eu achei tudo tão surreal que também fiquei com vontade de fazer, eu precisava, acho que é algo da minha alma mesmo’’, diz Bruno que, ao participar de quase todas as produções teatrais do colégio, decidiu começar a estudar teatro aos 12 anos.

A relação do Bruno com filmes musicais também influenciou no seu interesse pela cantoria. ‘’Tudo começou com High School Musical quando eu tinha uns 8 anos. Eu ficava no sofá da sala com a minha irmã, subia nele e fingia que era o palco. Eu sempre imaginava as pessoas ali, eu cantando na escola, mas eu nunca realmente pensava que queria ser cantor. Eu gostava da sensação de cantar e de brincar com isso’’, afirma. No entanto, foi só em 2012 quando começou a receber elogios pela voz, que Bruno Gadiol realmente considerou seguir carreira, criando sua primeira banda ‘’Listras da Lombada’’, na qual cantava música pop, e um canal no youtube, onde publicava covers de música. A empreitada deu tão certo que em 2016 o jovem foi um dos semifinalistas do The Voice, tornando-se conhecido pelo público. ‘’O programa foi um processo muito importante pra mim. Conheci muita gente de produção, os próprios participantes, que viraram amigos de vida, então foi algo muito legal mesmo. Foi o meu primeiro contato forte com o público no Brasil que eu tive’’, conta.

Bruno Gadiol durante show realizado no Teatro Gazeta, em São Paulo, em maio. (Foto: Reprodução)

Hoje, depois de ter dado uma amostra para amigos em apresentações privadas, Bruno já realiza alguns shows para o público que foram produzidos independentemente em São  Paulo. Recentemente, o jovem se apresentou no Teatro Gazeta e no Teatro Municipal de Barueri e, apesar do nervosismo inicial, conseguiu conquistar a plateia com um show repleto de covers e músicas autorais. ‘’Quando você entra é sempre tenso. Eu demoro uns cinco minutos para me estabilizar. Primeiro, eu penso no que eu estou fazendo ali e depois eu já me sinto dono do lugar, sabe? Você já conquistou o público, ele está gritando e você só quer se divertir. É a melhor parte e quando você vê já está na última música’’, diz o cantor que pretende, eventualmente, criar um show apenas com músicas autorais. Para ele, assim como o The Voice, as apresentações estão sendo oportunidades para expandir seu contato com os fãs. ‘’ Uma experiência incrível. Foi o primeiro contato que eu tive também com os fãs na minha cara, depois do shows eles vinham falar comigo e foi super gostoso ver os rostinhos deles. Tinha gente que eu já conhecia, de olhar pelo perfil’’, afirma.

Com o lançamento do primeiro single ‘’Seu Costume’’, que já é um grande sucesso, Bruno Gadiol já está pensando no que vem a seguir na sua carreira como cantor. ‘’Eu gosto muito da ideia de fazer um álbum, então pode ser que venha alguma coisa por aí’’, conta. E enquanto esse disco não chega, Bruno contou exclusivamente para o Site HT que já está preparando o próximo clipe e que, assim como este primeiro, vai trazer um assunto super importante: a liberdade! Temos certeza que o próximo trabalho vai ser tão bom quanto esse, Bruno!

Pesquisas relacionadas