Moda & Beleza

Vitória Moda Ano 10: híbrido entre Salão de Negócios e semana fashion, décima edição do evento supera as expectativas da indústria capixaba

Encerrado na quinta-feira (13), no Centro de Convenções de Vitória, o maior evento de moda do Espírito Santo movimentou em três dias um público estimado de 6 mil pessoas, entre desfiles, negócios e workshops e deve atingir R$ 21 milhões em negócios neste ano

Publicado em 16 de julho de 2017 | Por Heloisa Tolipan

*com Dudu Altoé

O maior evento do setor de moda e vestuário do Estado deve atingir R$ 21 milhões em negócios neste ano. Com o tema “A História do jeans”, a 10ª edição do Vitória Moda recebeu, entre os dias 11 e 13 de julho, cerca de 6 mil visitantes. Contando com um salão de negócios, as marcas que desfilaram suas coleções apresentaram ao público as peças vistas na passarela, além das empresas que expuseram suas novidades. O evento é uma iniciativa do Sistema Findes, em parceria com o Sesi/Senai- ES e correalização do Sebrae – ES, organização da Premium Marketing Promocional e maquiagem oficial Indice Tokyo Make Up.

Ator Felipe Roque no desfile da Konyk (Vitória - Foto: Henrique Fonseca)

Ator Felipe Roque no desfile da Konyk (Vitória – Foto: Henrique Fonseca)

No dia 26 de julho acontece a entrega do troféu “Prêmio Findes de Moda” para o qual são eleitos os destaques do Vitória Moda. A premiação tem três categorias: Melhor Desfile; Melhor Estilista; e Marca Revelação. O evento recebe ainda o lançamento da Revista Vitória Moda Mag, com um resumo do que foi destaque nesta edição.

SALDO POSITIVO

De acordo com o presidente da Câmara Setorial da Indústria do Vestuário da Findes, José Carlos Bergamin, as vendas deste ano devem superar as de 2016 em 10%. “Este número pode aumentar ainda mais por conta das relações estabelecidas durante a feira. Uma das nossas ações é o programa Inovamoda que tem por objetivo desenvolver o vestuário no Estado. Nós trabalhamos as empresas ao longo do ano e damos consultoria de design e mercado de venda, preparando sua apresentação para o Vitória Moda”, conta entusiasmado.

Presidente da Câmara Setorial da Indústria do Vestuário da Findes, José Carlos Bergamin (Vitória - Foto: Henrique Fonseca

Presidente da Câmara Setorial da Indústria do Vestuário da Findes, José Carlos Bergamin (Vitória – Foto: Henrique Fonseca)

Os planos para o evento, nesse sentido, vão ainda mais além, uma vez que Bergamin acredita muito no potencial do Vitória Moda como vitrine também para outros setores da economia do Espírito Santo, e não apenas para a moda. ”Para o ano que vem, projetamos mais setores participando da feira e não apenas os ligados ao vestuário. Queremos dar oportunidade a outros símbolos capixabas, produtos que também são de importância econômica e que podem agregar ao evento, como o café, a cachaça e o chocolate, por exemplo”, completa.

O tema do Vitória Moda este ano, inclusive, não foi escolhido à toa. “A indústria do jeans do Espírito Santo possui reconhecimento nacional. Não somente o jeans de design diferenciado, mas também o jeans básico. E esta indústria é a que mais contribui para a economia do estado e, assim, a que mais emprega”, sinaliza, ainda, Bergamin. “Como nós temos o objetivo de desenvolver a cadeia da indústria do vestuário, lançamos o tema jeans para dar real visibilidade nacionalmente deste importante setor que é o principal aqui no Espírito Santo”, finaliza.

DESFILOU, COMPROU

Em apenas três dias, o evento fez da capital capixaba o palco dos principais lançamentos de moda no Estado. Ao todo, 24 grifes, entre estreantes e veteranas, apostaram nos desfiles como principal meio para apresentar suas coleções de Verão 2018, grande parte delas já totalmente adaptadas ao formato “see now, buy now”, o tão falado “desfilou, comprou”. Esta foi, inclusive, uma das propostas do Vitória Moda Ano 10 – justamente promover a venda dessas peças desfiladas nos estandes do Espaço Business, atendendo pedidos de atacado ou compras diretas dos consumidores.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nos corredores do evento, o clima era bem positivo. Profissionais, estudantes, imprensa e público em geral, todo seguiram animados para conhecer não só os lançamentos das marcas, mas também aprender mais sobre a cadeia produtiva no Salão Ofícios da Moda, que contou com parte do maquinário de uma confecção e workshops técnicos. Uma estratégia louvável para aproximar mais a sociedade desse segmento, e mostrar o que há por trás das roupas nas araras das lojas.

 

 

 

 

Pesquisas relacionadas

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,