Gente & Comportamento

Roger Gobeth compartilha como foi a experiência de enfrentar os desafios da minissérie ‘Sem Volta’ e revela os próximos projetos

Após encarar o papel de Solis na minisérie 'Sem Volta', o ator revela os novos projetos e fala sobre a interação com os fãs nas redes sociais. Confira!

Publicado em 7 de março de 2017 | Por Suzany Alves

Conhecido pela sua entrega aos personagens que faz, Roger Gobeth possui todos os requisitos necessários para um ator completo, principalmente a versatilidade na qual sua carreira está emergida – uma longa lista de personagens que vão de mocinhos a vilões provam isso.

Recentemente no ar na minissérie “Sem Volta”, o ator enfrentou desafios na preparação e na execução do personagem Solis, um sujeito explosivo e de passado criminoso. Entre aventuras na floresta, escaladas na Praia Vermelha e cenas onde enfrentam a correnteza, o ator bateu um papo com o HT para compartilhar como foi um dos papéis mais felizes que já realizou. “Foi um desafio enorme e incrível ter sido convidado pelo Edgard Miranda, por ele ter acreditado que eu seria a pessoa certa para chegar aonde o personagem pedia. Foi um dos personagens mais complexos que eu já fiz por sua história, que vem de um mundo marginal e se reumaniza na natureza, sofrendo um renascimento com todo o grupo. Ele embarca nessa pelo dinheiro, pelo tesouro, mas no fim ele vai se envolvendo e se redescobrindo como pessoa”.

Roger Gobeth como Solis (Foto: Divulgação)

E não foram só os desafios psicológicos que tornaram o personagem marcante. Roger precisou mergulhar de cabeça na adaptação, com direito a uma dieta e exercícios para chegar no tipo físico do atleta, além de oficinas com Julio Campanella, um dos maiores alpinistas do Brasil para realizar as cenas de escalada. “Em dois meses e meio, realizei uma transformação corporal para que o personagem existisse. Fora isso, tivemos 20 dias de preparação com o Julio, para tomar conhecimento das ferramentas e dos movimentos básicos de escalada. Gosto de frisar que a todo momento nós tivemos uma equipe de dublês nos dando o suporte e diminuindo o risco de acidentes, mas como na gravação era necessário o uso de uma câmera bem próxima dos atores, a maioria das cenas foi executada por nós, depois dos ensaios”, explicou.

Foto: Divulgação

Mas apesar da identificação com as reviravoltas apresentadas pelo personagem, o ator afirma que criador e criatura não tem muito em comum. “Eu gosto muito da poesia do renascimento de Solis. Sua história nos faz entender que existe sempre um recomeço, e que não é por causa de um tropeço ou dificuldade que não podemos desviar do caminho mais tortuoso, pois ele consegue encontrar o seu próprio caminho. É uma lição que fica não só pra mim, mas pra todo mundo”, revelou Roger, que, durante os bastidores das filmagens, exercia um de seus hobbies preferidos: a fotografia. “Em grande parte das cenas que eu não estava gravando, estava sempre com a minha máquina, registrando todos os momentos”.

Reconhecendo o poder da internet e redes sociais, o ator resolveu testar as ferramentas de interação com os fãs, para ver o que o público estava achando da série. No Twitter, ele usou pela primeira vez para comentar em tempo real os episódios, e conta o que achou da experiência. “É interessante ver a resposta imediata das pessoas que estão conectadas não só comigo, mas com a obra. Ainda não sei se vou levar isso adiante, e como a série foi gravada inteira antes de ir ao ar, não pude aproveitar as críticas ao personagem, mas foi uma boa experiência. Como gosto mais de fotografia, prefiro o Instagram, mas ele não possui uma interação tão direta. É preciso prestar atenção nessas novas plataformas, porque a dramaturgia também está presente lá. Não temos como fugir disso”, sentenciou.

Foto: Livro ‘It’s Raining Man’, de Paula Klien

E, felizmente, não vai dar tempo de sentir saudades dos ator nas telas. Ele já está confirmado no elenco da próxima produção religiosa da Record, ‘O Rico e Lázaro’, que tem estreia prevista para março. Ele dará vida a Absalom, que também promete ser um personagem explosivo que vai dar o que falar. “A personalidade dele é muito refletida pela criação violenta que teve de seu pai. Ele é uma pessoa fechada, com reações intempestivas, e que chega a ser violento quando é contrariado. Amargo, temperamental e até bipolar, mas ao que tudo indica, ele deve encontrar alguém que mude essas características dele. Mas só talvez, porque as pessoas não gostam muito dele, elas têm medo. Eu acredito que ele tem um bom coração, mas ainda não teve chance de se redimir com ele mesmo, então pode ser que ele se transforme e mostre isso de um lugar dele que ainda não foi atingido por ninguém”, adiantou o ator. Além das produções para a TV, Roger Gobeth aguarda o lançamento do filme que estrelou ao lado de Isabella Santoni, ‘Visceral‘, e também se prepara para novos projetos no teatro. Estamos ansiosos pra conferir!

Pesquisas relacionadas

close-link