Gente & Comportamento

Guilherme Tannenbaum celebra o sucesso em painel na Rio Music Conference e lamenta preconceito com a música eletrônica

Diretor executivo da Braslive, o jovem de 25 anos da região serrana do Rio comanda painel na Rio Music Conference ao lado de dois convidados ilustres

Publicado em 15 de fevereiro de 2017 | Por Rodrigo Cohen

Aos 25 anos, Guilherme Tannenbaum – diretor executivo da Braslive – comandará um painel no Rio Music Conference, nesta quarta-feira, dia 15/02, às 16h, na Sala Mauá do Museu de Arte do Rio (MAR) com o tema “Como planejar uma carreira de sucesso”. Em uma breve conversa, o jovem empresário, que tem em sua agência o comando da carreira de nomes como Felguk e outros expoentes da música eletrônica brasileira, conseguiu abordar assuntos como a dificuldade e os desafios de se inserir no mercado musical, as projeções para o cenário em 2017 e o preconceito muito presente com todos que escolhem a música eletrônica como meio de vida.

Sobre já ser um nome reconhecido no mercado, Guilherme comemora e afirma: “Fico muito feliz de ser o que eu busquei no início da carreira, quando ainda era um DJ. Quando tocava, não encontrava ninguém que fizesse um gerenciamento de carreiras desse tipo no Brasil. Estudei para ser para outros o que eu não tive”. Claro que gerenciar carreiras não é o único elemento necessário e quando perguntado sobre as características que um artista deve ter, Tannenbaum dispara: “foco e disciplina”.

De olho no crescimento que a música eletrônica teve em nos últimos dois anos e esperando que em 2017 esse movimento continue, Guilherme lamenta o preconceito que esse estilo ainda sofre e o fato de tentarem desqualificar os grandes festivais utilizando a palavra ‘rave’ como pejorativa.“O caso do Ultra Music Festival que cresceu nos últimos anos e na última edição teve tudo contra ele, por exemplo. É bem triste de ter que lidar com essa rejeição sendo que outros festivais de outros estilos acontecem no mesmo local sem impedimento nenhum”, contou, relembrando o evento que estava marcado para acontecer na Quinta da Boa Vista e foi embargado pela Prefeitura e realocado no Sambódromo.

Guilherme convidou para estar ao seu lado nesta quarta-feira duas figuras que ele acredita que serão bastante conhecidas pelo público nesse ano: Ricci, que já foi confirmado na próxima edição do Lollapalooza com menos de 1 ano de carreira,  e Andy Bianchini, que lança sua nova música na sexta-feira, dia 17 de fevereiro, pela Sony Music. O empresário musical ressalta o potencial desse novo lançamento de sexta e afirma: “Acredito demais no potencial desse novo trabalho”.

Ricci Foto: André Thomas Barbosa

Andy Bianchini

A história dos Tannenbaum com a música vem das outras gerações. Sua avó e seu pai eram pianistas e Guilherme, aos 4 anos, começou a sentar ao lado do pai e descobrir as notas musicais e sua paixão por essa arte. Ele acredita que a melhor maneira de se inserir no mercado musical é sem medo. “Deixo um convite para que todos os que se interessam se aventurem no mercado musical. É um meio como outro qualquer. Pode ser fonte de renda, pode te dar uma carreira. Hoje, é um mercado feito só pelos apaixonados por música”,  comenta Tannenbaum que acredita que a chave para aumentar a diversidade no mercado é o reconhecimento de profissionais de carreiras tidas como ‘tradicionais’ abraçarem o cenário musical.

Pesquisas relacionadas