Gente & Comportamento

Explosão de novidades: DJ Zé Pedro aposta em nova festa no Rio, lança três discos pelo selo Joia Moderna e retoma Canal da Véia no Youtube

Símbolo do bom-humor e irreverência, o artista nos contou como é manter a alegria em tempos de cólera. Dominado pela experiência de seu alter ego, a Véia, Zé Pedro destacou que nada nessa vida é definitivo. "Nada consegue me derrubar, só a alegria realmente me importa. E isso é porque eu sei que tudo é passageiro, nada nessa vida dura. Por isso que eu estou sempre rindo e feliz, porque a tristeza, além de não ser divina, só está de passagem" | LER MAIS

05/01/2017 às 08:41 POR: Julia Pimentel

Ele é DJ, produtor musical, apaixonado pela música, principalmente a brasileira, conhecedor de cinema e a diversão em pessoa. Ele também é sincero, hilário e não abre mão de sua felicidade por nada. Este é Zé Pedro, o DJ que coleciona trabalhos de sucesso no cenário musical e nesta semana lança sua nova festa: Na Orla. O evento, que terá o clima de praia, manhã e descontração como pilares, estreia neste domingo na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema. Ao HT, DJ Zé Pedro nos disse que a nova festa representa uma fuga dos tradicionais e antigos eventos da programação carioca. “A cada ano, nós precisamos criar novos encontros e novas histórias. Não tem como ficar sempre naquela mesma ideia que estamos acostumados. E o Rio de Janeiro estava nessa posição: há tempos que a cidade não recebia um assunto novo, com uma energia diferente e outra proposta”, justificou a criação do evento que teve inspiração nova-iorquina.

13918921_10153851600600679_1730929966_o-2

Neste domingo, a nova Casa de Cultura Laura Alvim, que foi reformada no período olímpico e hoje recebe diferentes expressões artísticas em um dos pontos mais nobres da urbe, será palco do evento. A partir das 16h, DJ Zé Pedro e Balako, representado pela dupla Rodrigo Peirão e Diogo Strausz, agitam a badalada Avenida Vieira Souto, em Ipanema. E não estranhem o horário. A proposta do nosso múltiplo-artista da música é justamente essa. “Eu acredito que, principalmente no Rio, as festas precisam ser cada vez mais de dia. É um horário novo e ideal para celebrar o verão. No período da noite, nós já tradicionalmente temos muitas opções de festas pela cidade. Mas de dia, ficávamos com esse hiato que não era bem aproveitado”, explicou Zé Pedro que acrescentou que a proposta do evento já está explícita desde o nome. “Na Orla tem muito a ideia de ser de dia, na beira da praia, na tarde de um domingo”, completou.

Zé Pedro estreia sua nova festa, Na Orla, neste domingo em Ipanema (Foto: Reprodução)

Zé Pedro estreia sua nova festa, Na Orla, neste domingo em Ipanema (Foto: Reprodução)

E o gosto pela luz do dia não é uma novidade na vida do DJ Zé Pedro. Carioca de nascimento e paulista de alma e moradia, o artista contou que a energia solar é justamente o que mais lhe atrai na cidade maravilhosa. Segundo ele, enquanto em São Paulo a diversão é noturna, no Rio, o dia precisa ser mais explorado. “Eu acho que a cidade pede por mais festas com claridade. Quando me chamavam para fazer residência em algum evento aqui, eu sentia que a proposta precisava ser nova e diferente. Não queria que fosse só mais um. Por isso resolvemos criar o Na Orla”, disse.

15894478_1657000067931145_7884592228360904052_n

Se já não bastasse o projeto que estreia neste domingo e é a cara da cidade, Zé Pedro também é responsável por outra iniciativa que é referência no cenário musical. Desde 2011, o DJ apresenta novos nomes, resgata antigos cantores e promove tributos através do selo Joia Moderna. O projeto, que em cinco anos já lançou 37 novos discos, é conhecido no meio musical pela qualidade e originalidade sonora. No ano passado, Zé Pedro tirou um pouco o pé do acelerador e se concentrou em apenas três novos álbuns. “Eu estava acostumado a lançar inúmeros trabalhos por ano. Mas em 2016, eu diminui essa ansiedade quando vi que poderia produzir novos artistas e resgatar outros de maneira mais tranquila. Eu confesso que fiquei um pouco angustiado por só ter feito três discos. Mas também, foram trabalhos sensacionais e que o resultado ficou maravilhoso”, explicou.

Com tanta variedade sonora inserida no selo Joia Moderna, Zé Pedro contou como é manter a identidade e a essência do projeto com o passar do tempo. Com mais de 30 discos lançados através desta iniciativa, o DJ nos disse que hoje o Joia Moderna funciona como uma cooperativa. “Eu não tive filhos e nem terei. Então, os lançamentos do selo são como se fossem meus, de minha responsabilidade e que precisam da minha dedicação para crescerem. Nós somos uma turma que se ajuda o tempo todo. São pessoas que trabalham comigo e possuem a mesma energia e admiração pela música que eu tenho. Então, quem faz o selo Joia Moderna acontecer é uma turma jovem e talentosa que sonha e faz a roda girar. Afinal, hoje não podemos sonhar com dinheiros astronômicos de gravadoras. Precisamos aceitar nossas limitações econômicas e de orçamento se quisermos, realmente, produzir. Isso não significa deixar de sonhar e nem abrir mão de qualidade. Eu acho que é uma forma de se adequar à nova realidade”, analisou Zé Pedro, que acredita no poder dos selos independentes. “Hoje em dia, as gravadoras não se comportam mais como antigamente. Essas grandes empresas, inclusive, vão acabar em breve”, apontou.

Exemplo desta queda das gravadoras em tempos digitais e de crises financeiras foi o álbum de Fafá de Belém produzido pelo selo. Segundo Zé Pedro, a cantora brasileira já estava há oito anos correndo atrás da produção de “Do tamanho certo para o meu sorriso” sem sucesso. “A Fafá estava há anos tentando produzir esse álbum com as grandes e tradicionais gravadoras e não conseguia. Quando lançamos, ela esgotou as cópias em 48 horas, ganhou prêmios e reconhecimentos e agora se prepara para lançar o DVD do projeto”, contou Zé Pedro sobre o novo trabalho, que terá direção de Paulo Borges.

Para 2017, Zé Pedro revelou que já começa o ano com três novidades. Pelo selo Joia Moderna, o DJ lança os discos de Geanine Marques, Ayrton Montarroyos e Felipe S, em seu trabalho solo fora do Mombojó. Mas ele não para por ai. “Minha cabeça está sempre a mil por hora. Então, eu tenho muitas outras ideias para esse ano. Por mais que eu queira parar, existe uma turma que fica o tempo todo me apresentando novos nomes para nós produzirmos. E esse dinamismo funciona como uma provocação, para o Joia Moderna nunca parar”, contou. E que nunca acabe!

Em 2016, Zé Pedro lançou três discos pelo selo Joia Moderna (Foto: Reprodução)

Em 2016, Zé Pedro lançou três discos pelo selo Joia Moderna (Foto: Reprodução)

Com tantos trabalhos nacionalmente reconhecidos e uma opinião nada convencional, Zé Pedro também é requisitado para dar o seu aval sobre novos discos e artistas. Sem se preocupar em agradar amigos ou manter relações diplomáticas, ele é taxativo quando gosta ou quando não aprova a novidade. “Eu acho que para eu ter prestígio, respeito e reconhecimento, minha opinião realmente precisa valer. Se eu fico em cima do muro ou misturo o trabalho com amizade eu, possivelmente, só serei mais um falando. Então, eu só abro minha boca quando eu realmente gosto e quando eu sinto a mensagem e a verdade em determinado artista”, argumentou Zé Pedro, que acredita que o atual cenário da música brasileira está excelente. “É clichê falar isso. Mas eu realmente acho que nós estamos muito ricos e cheios de novidade. Só que, ao mesmo tempo, também estamos vivendo em tempos de mercado encolhido. E é por isso que o Joia Moderna é ainda mais importante neste momento. Quanto mais independente você quiser ser no país, mais referência você precisa ter para potencializar seus projetos”, afirmou.

Sobre o panorama contemporâneo, Zé Pedro não nos escondeu suas tão requisitadas opiniões. Para o DJ e super entendedor do cenário musical brasileiro, muitos nomes se destacaram em 2016. Entre eles, o de Clarice Falcão, por quem Zé não escondeu sua idolatria. “Entre os lançamentos do ano passado, eu ressalto o da Céu, Fernanda Abreu, Mahmundi, Zé Manoel, Juliana Perdigão e, claro, Clarice Falcão, que eu sempre adorei e para sempre adorarei. Eu acho que ela é uma garota inteligente, uma cronista musical que faz resistência aos puristas. De maneira muito interessante, ela soube quebrar a internet com aquele clipe polêmico. E hoje em dia isso é muito importante”, disse Zé Pedro que prefere não criar expectativas para os lançamentos musicais de 2017. “O novo ano é sempre uma escuridão. Eu acredito que quanto mais nós esperamos por algum lançamento, mais nos decepcionamos depois. Então, eu evito criar expectativas e prefiro esperar pelo que vai sair. Mas, sem dúvidas, todo ano eu me impressiono”, revelou.

Clarice Falcão – Eu Escolhi Você ! from Bruno Fernandes on Vimeo.

Se sinceridade é um elemento indispensável nas relações e na vida do DJ Zé Pedro, o bom-humor é ainda mais essencial. Conhecido no meio musical por sua espontaneidade, alegria e língua afiada, o artista contou que, para ele, não há outra maneira de encarar a vida. Em uma mistura de sua personalidade com o alter ego da Véia mais amada, Zé Pedro considera a tristeza um sentimento apenas passageiro. “Do alto dos meus mil anos, o meu destino é ser feliz mesmo. Nada consegue me derrubar, só a alegria realmente me importa. E isso é porque eu sei que tudo é passageiro, nada nessa vida dura. Por isso que eu estou sempre rindo e feliz, porque a tristeza, além de não ser divina, só está de passagem. Então, eu só sei viver dando risada e fazendo brincadeiras com tudo. Mas também não sou idiota, não confundo alegria com burrice”, disse.

Em breve, o DJ irá retomar o Canal da Véia no Youtube (Foto: Reprodução)

Em breve, o DJ irá retomar o Canal da Véia no Youtube (Foto: Reprodução)

Com tanta energia positiva e bom humor, 2017 tem tudo para ser mais um ano excepcional para Zé Pedro. Além do selo Joia Moderna que segue forte no cenário musical e do Na Orla, novo evento carioca que estreia neste domingo, o DJ ainda tem outro projeto. Aliás, um super requisitado nas redes: voltar com o canal da Véia no YouTube. Depois de conquistar quase 20 milhões de visualizações apenas com a paródia de “Bang”, de Anitta, Zé Pedro está longe da plataforma há seis meses. “Eu parei porque sentia que precisava de algo novo. Eu senti que estava um pouco estacionado e não sabia de onde buscar novidades. Mas eu já entreguei três novos projetos para os produtores do canal e em breve volto com a Véia”, adiantou Zé Pedro, que confessou que sentia a necessidade de se reinventar no YouTube. A gente, daqui, segue na torcida e dando like!

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterGoogle+0
TAGS , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Também