Arte & Literatura

Escritório Tavares Duayer Arquitetura trabalha em quadro do Caldeirão e foca na sustentabilidade, na inovação e na singularidade no momento da criação de seus projetos

Fundado em 2008, a dupla de arquitetos Thiago Tavares e João Duayer criou projetos para marcas conhecidas como Void, Adidas e Nissan. Desde 2016, o escritório ganhou um selo de qualidade ao participar do programa Lar Doce Lar

Publicado em 11 de setembro de 2017 | Por Ana Clara Xavier

O Caldeirão do Huck, na Rede Globo, enche as tardes de sábado dos brasileiros com quadros divertidos e inspiradores que ajudam muitas pessoas pelo país. O Lar Doce Lar é um dos projetos do programa voltado para este objetivo e, neste caso, visa reformar a casa de várias famílias em situações precárias pelo país. A equipe roda o Brasil buscando os cidadãos que enviaram pedidos de reforma e busca proporcionar uma vida mais confortável a eles. O escritório Tavares Duayer Arquitetura é o grande responsável por reformular a residência destas pessoas levando um espaço de qualidade para novas fronteiras. “É gratificante poder construir casas para essas pessoas. Estou me deparando com realidades muito diferentes das que estou costumado a ver no sudeste do país. Dentro dos nossos conhecimentos, tentamos levar para este projeto uma arquitetura de qualidade. Queremos trazer uma boa ventilação para a casa, sombra e outras questões que são relevantes no dia a dia. Quando recebemos o material da galera que vai participar do programa temos que levar em conta que são pessoas em situações precárias. Não adianta fazer algo enorme, porque a manutenção pode ser difícil. Tentamos somar as nossas ideias de arquitetura com as propostas do programa”, afirma Thiago Tavares um dos donos do escritório fundado por ele e seu amigo João Duayer, em 2008.

A parceria com a Rede Globo rola há quase dois anos. Desde então, a procura pelo trabalho dos dois arquitetos tem aumentado, já que veem a aparição no programa como um selo de qualidade do escritório. O grupo ganha um destaque muito maior no momento da escolha do cliente. Para participar do quadro, eles passaram por um grande processo de seleção de nível nacional. “Em 2015, fomos convidados para enviar nosso portfólio porque estava rolando uma concorrência interna para escolher os novos arquitetos de dois quadros do programa do Luciano, o Lar Doce Lar e Todos Por Um. No início do ano passado, nos ligaram informando que tínhamos ficado entre dez escritórios a nível nacional e que o próprio apresentador havia selecionado o nosso”, conta Thiago.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desde o ano passado, a dupla de empreendedores tem acumulado várias histórias emocionantes que viveram durantes as gravações do programa. A primeira experiência do currículo aconteceu antes das Olimpíadas de 2016. “Nosso primeiro quadro foi o Todos Por Um, ano passado. Este programa se parece muito com o Lar Doce Lar, mas sempre estava voltado para uma ONG e, neste caso, se tratava de uma relacionada a atleta de taekwondo Iris Sing no qual fizemos o centro de treinamento. Foi muito bacana fazer parte disso”, relembra o arquiteto. Enquanto conversava com a galera do site HT, por exemplo, o empresário estava voltando de Fortaleza onde tinha acabado de participar de mais uma reforma promovida pelo quadro Lar Doce Lar.

A dupla de arquitetos posa ao lado de Luciano Huck depois de um trabalho de sucesso, em Fortaleza, no quadro Todos Por Um (foto: Divulgação)

Tavares Duayer Arquitetura tem muita experiência no ramo, apesar de existir há menos de dez anos. O escritório é voltado para projetos mais sustentáveis que possam facilitar a vida de seus clientes, como acontece no programa. “Nosso foco são empreendedores jovens, viajados, buscando ideias com pouco impacto no meio ambiente. São pessoas que estão fugindo das propostas das marcas antigas e consolidadas. A galera vê no nosso trabalho uma forma de gerenciar melhor o espaço trazendo soluções saudáveis. Como arquitetos, sempre valorizamos o melhor que aquele espaço tem a nos oferecer jogando com o que já existe nele. Nós acreditamos na ideia do cliente. Por exemplo, nosso mais recente projeto foi a loja AHLMA na qual valorizamos o piso e a arquitetura da antiga casa”, explica o empresário sobre o local, no Leblon, que mantém a fachada original.

O projeto buscou valorizar elementos que já existiam na antiga casa do Leblon (Foto: Divulgação)

A filosofia do escritório não está diretamente relacionada à crise. Segundo Thiago, este é o viés da arquitetura atual e contemporânea. “Estamos em um momento em que o consumo é consciente. As pessoas estão se controlando para não comprar por impulso, de forma que querem entender de onde veio os produtos. Esta ideia se estende para a arquitetura. O cliente quer saber a viabilidade do projeto, quais as inspirações, como seria produzido e se ele foi pensado da maneira mais econômica possível”, acredita. Seu escritório segue à risca este pensamento, não apenas pela procura de seus clientes, mas por também acreditarem nesta nova perspectiva. “Nós acreditamos nessa arquitetura sem desperdícios, vemos beleza estética na ideia de se apropriar do que já existia naquele espaço. A nossa filosofia é reaproveitar o que acaba sendo uma resposta à crise”, complementa o sócio.

Equipe do escritório T&D (Foto: DIvulgação)

Exatamente por trazer este conceito mais sustentável e dinâmico que a dupla tem feito sucesso no cenário arquitetônico. Juntos, encontraram uma brecha no mercado de varejo e do ramo alimentício. “Acho que o mercado de arquitetura, no Rio de Janeiro, é muito voltado para o lado residencial. No entanto, como trabalhamos com projetos mais conceituais conseguimos nos destacar. Eu e João estudamos juntos na UFF e começamos a fazer alguns projetos juntos, mas saí para fazer um curso em Barcelona. Quando voltei, já estava tomando proporções grandes e criamos o escritório. De lá para cá, fizemos a Void do Leblon o que nos deixou mais popular no meio”, conta. O estilo da Void resume o conceito moderno, viajado, de baixo orçamento e dinâmico que Thiago explicou.

No entanto, criar raízes dentro do mercado não foi algo fácil. Os dois trouxeram propostas diferentes das apresentadas no ramo e, com isso, conseguiram de destacar dos outros. “ Não foi fácil. É muito difícil, burocrático e caro empreender no Brasil. Existe bastante perseverança na galera que consegue expandir dentro do mercado de trabalho”, assegura Thiago que busca trazer singularidade, criatividade e inovação para cada trabalho que chega na sua mesa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pesquisas relacionadas