Arte & Literatura

Com frase dita pela mãe como título, Fernanda Torres lança seu terceiro livro no Rio, “A Glória e seu Cortejo de Horrores”, sobre a carreira artística de um personagem: “Sempre tem a ver com a gente”

Além da careira como escritora, ela segue como atriz e está no ar em "Os Filhos da Pátria", às terças, na Globo. Com boa repercussão, Fernanda acredita em uma segunda temporada no ano que vem. Fora isso, a atriz também estará no elenco da segunda temporada de "Sob Pressão", de Andrucha Waddington, e começa a gravar em fevereiro ou março de 2018

Publicado em 27 de novembro de 2017 | Por Julia Pimentel

No título, uma frase que é quase um lema defendido por sua mãe, Fernanda Montenegro. Na história, um conto fictício que poderia ser um compilado de experiências próprias ou de companheiros de trabalho. E. na autoria, uma escritora que, apesar de estar em seu terceiro livro, prefere se dizer atriz, com seus 35 anos de profissão. Na última semana, Fernanda Torres lançou “A Glória e Seu Cortejo de Horrores” no Rio e reuniu amigos, fãs e colegas de trabalho na Livraria da Travessa do Shopping Leblon.

Por lá, mais que autógrafos, Fernanda distribuiu carimbadas nas páginas de sua obra. Entre uma dedicatória e outra, a atriz e escritora contou que ilustrou a mensagem com frases extraídas do próprio livro e com imagens de ícones do teatro. “Uma vez eu vi a Adriana Calcanhoto usando uns carimbos e, para este lançamento, eu quis fazer também. Então, são frases do livro com o rosto de grandes nomes do teatro, como Plinio Marcos, Brecht e Macbeth”, contou sobre a novidade que gerou curiosidade entre as pessoas que prestigiaram a autora.

Fernanda Torres e o filho no lançamento de “A Glória e seu Cortejo de Horrores” no Rio (Foto: AgNews)

Não por acaso, os carimbos de Fernanda Torres eram um preview do que o leitor encontraria pelas próximas páginas. Em seu terceiro livro, a atriz e escritora conta sobre a vida de Mario Cardoso, um personagem fictício que era ícone da teledramaturgia brasileira nos anos 1960 e resolve dar um novo rumo para a carreira em um projeto que se torna uma grande catástrofe. “Essa história foi indo. Primeiro eu escrevi o capítulo sobre a Tijuca e depois o episódio de um ator que teve um ataque de riso. Aí você vai escrevendo. Como a história tinha um ator como personagem, eu decidi colocar a frase da mamãe que sempre fez parte da minha vida. Foi assim”, explicou sobre seu processo.

O título, aliás, é um caso à parte. Antes de ser o nome do terceiro livro de Fernanda Torres, “A Glória e Seu Cortejo de Horrores” é uma frase antiga e marcante defendida por Fernanda Montenegro. Com seus brilhantes 64 anos de carreira, a dama da arte nacional tem esta expressão como uma síntese da vida artística. E, para ela, a opção por Fernanda Torres usar a frase como título da obra é uma prova de que a filha concorda com a mãe. “Ela não está chegando na profissão artística hoje. A Fernanda veio de uma casa de gente de teatro, televisão e vida pública e sempre viu que é isso mesmo. É a glória com seu cortejo de horrores. O engraçado é que eu sempre falei isso e agora estou vendo que mesmo uma outra geração também identifica esta ideia como uma realidade atual”, disse Fernanda Montenegro.

No título, a atriz e escritora usou uma frase dita por sua mãe como síntese da vida artística (Foto: AgNews)

Por falar em realidade, o livro de Fernanda Torres, mesmo que ambientado nos anos 1960, ainda tem toques de contemporaneidade quando o personagem da obra tem a crise como barreira da profissão. “Eu faço uma retrospectiva. O personagem está no meio de uma crise pessoal e pensa na época que começou e para onde pode ir neste momento da carreira. Então, é um livro dividido em duas fases”, explicou a autora que, de certa forma, se viu refletida nos dilemas de seu personagem Mario Cardoso. “Ah, livro sempre tem a ver com a gente”, disse.

No entanto, além de se dedicar à literatura – neste que é seu terceiro livro da carreira –, Fernanda Torres segue firme como atriz. Atualmente, ela está no ar em “Os Filhos da Pátria”. Na minissérie, que é exibida às terças-feiras na Globo, o enredo conta como o “jeitinho brasileiro” começou e ganhou força no comportamento de nossa sociedade. Com boa repercussão, Fernanda Torres acredita em uma segunda temporada no ano que vem. “Eu acho que ele já está escrevendo”, indicou a atriz sobre Bruno Mazzeo, que é quem assina o texto.

Para além da suposição, a atriz confirmou que estará na segunda temporada de “Sob Pressão”. Segundo ela, a série que mostra os dramas da saúde pública no Brasil e tem direção de Andrucha Waddington, seu marido, deverá ser gravada em fevereiro ou março do ano que vem. Até lá, Fernanda não adiantou como será sua participação na atração que, na primeira temporada, teve Marjorie Estiano, Julio Andrade, Bruno Garcia e Stepan Nercessian como elenco fixo.

Pesquisas relacionadas