Arte & Literatura

Arte em peças de Lego: Depois do sucesso na primeira passagem, “The Art of the Brick” volta ao Rio de Janeiro no shopping Village Mall

Em sua primeira viagem à cidade, o artista norte-americano, responsável pelas 82 esculturas exibidas na mostra, comemorou a repercussão positiva de seu trabalho entre os cariocas. Para ele, a exposição deixa uma mensagem para os visitantes, das crianças aos idosos. "Eu acho que esse é um trabalho que inspira as pessoas"

Publicado em 3 de julho de 2017 | Por Julia Pimentel

A exposição “The Art of the Brick”, com esculturas em peças de Lego do norte-americano Nathan Sawaya, está de volta ao Rio de Janeiro e com números cada vez mais impressionantes. Em cartaz no Village Mall, a mostra possui 82 trabalhos em um espaço de 1.800 m² e uma trajetória de mais de dois milhões de visitantes pelo mundo, sendo 330 mil só na última passagem pelo Brasil. Até o dia 6 de agosto, os cariocas terão uma nova oportunidade de conhecer o trabalho do artista plástico que faz arte com o que, para muitos, é apenas um brinquedo. Sucesso inquestionável na primeira passagem pelo Rio, quando esteve em cartaz no Museu de Arte Moderna, a exposição volta à cidade a convite do próprio Village Mall, que identificou o desejo do público por rever o trabalho de Nathan Sawaya.

“The Art of the Brick” está em cartaz no shopping Village Mall até o dia 6 de agosto (Foto: Divulgação)

Para esta segunda exposição em solo carioca, o artista plástico desembarcou na cidade para conhecer um pouco da cultura local e das pessoas que tanto admiram seu trabalho. Em sua primeira passagem pelo Rio de Janeiro, Nathan conversou com o HT e comemorou a visibilidade e a repercussão de “The Art of the Brick” na cidade. “É muito bom trazer o meu trabalho de volta para cá. A demanda foi tão fantástica que a gente tinha que retornar. Então, estamos aqui graças a um pedido muito especial do público carioca que nos quis de volta. Isso é maravilhoso”, disse empolgado o artista plástico que está acompanhando de perto o sucesso de seu trabalho no shopping Village Mall. “Eu acho que a reação tem sido mais especial para mim por eu estar aqui e acompanhar tudo de perto. Da outra vez, eu via que estava cheio, mas era pelas redes sociais”, contou.

Skulls, por Nathan Sawaya (Foto: Divulgação)

E, realmente, o público carioca tem justificado o pedido pela volta da exposição à cidade. Desde que inaugurou, “The Art of the Brick” tem registrado recordes de lotação. E o sucesso não é só por aqui. Com passagem pelo mundo todo, exceto nos países árabes, a exposição de esculturas de Lego possui mais de dois milhões de visitantes. Para Nathan Sawaya, a unanimidade de seu trabalho está relacionada a diferentes razões. “É muito difícil tentar explicar. Eu acho que essa exposição é muito acessível porque reúne desde crianças muito pequenas, que veem nas estruturas os brinquedos que elas têm, a senhores de mais idade, que enxergam um outro lado da mostra. Porém, eu acredito que também seja uma sorte imensa que a exposição gere tanta identificação em pessoas com experiências tão diferentes”, apontou o artista que, como mensagem de seu trabalho, acredita na inspiração provocada nos visitantes. “Eu acho que essa é uma exposição que inspira as pessoas, principalmente as crianças, por verem seus brinquedos sendo tratados como arte. E nós incentivamos isso também. Ao fim da mostra, temos um espaço para aqueles que se sentiram inspirados possam praticar imediatamente”, completou.

The Scream, por Nathan Sawaya (Foto: Divulgação)

Por falar na exposição, “The Art of the Brick” reúne 82 esculturas assinadas por Nathan Sawaya, todas feitas com peças de Lego. O brinquedo, que se tornou material de trabalho para o artista norte-americano, está presente desde a sua infância, como nos contou Nathan. Porém, foi na fase adulta que o olhar apurado e artístico sobre as peças se desenvolveu. “Eu gostava de brincar quando era criança, óbvio. Mas, à medida que eu fui crescendo, essa foi uma prática que ficou um pouco para trás. Quando eu fiz Direito em Nova York, eu passei a querer produzir artes. Então, às vezes eu pintava, outras desenhava e também fazia esculturas. E aí, um dia, eu comprei um brinquedo para o meu filho e comecei a fazer grandes projetos com as peças de Lego”, lembrou.

Klimt Kiss, por Nathan Sawaya (Foto: Divulgação)

Um de seus primeiros trabalhos, há cerca de dez anos, foram as duas maçãs, que estão expostas na mostra. Usando apenas peças retangulares, o artista plástico fez o formato exato da fruta – com direito à folha – e descobriu ali uma nova paixão. Depois disso, com a prática e um olhar diferente sobre a vida, Nathan foi identificando novas oportunidades e inspirações para esculturas. De acordo com ele, suas ideias surgem de viagens, culturas e novas experiências. Mas também, Nathan revelou que, muitas vezes, a inspiração aparece sem propósito ou esforço.

Stairway, por Nathan Sawaya (Foto: Divulgação)

Em “The Art of the Brick”, o público tem a chance de conhecer a interpretação de Nathan Sawaya sobre diversas motivações, que vão desde esportes e celebridades à artistas seculares e grandes obras. A maior de todas, com 85 mil peças de Lego, é o “Dinosaurium”, a última da exposição. Com 5,92 metros de largura e 1,80 de altura, a escultura é um presente ao público infantil que tanto se identifica e prestigia o trabalho do norte-americano. “Essa peça, em particular, surgiu depois da minha primeira exposição solo. Eu fiz uma mostra e fiquei impressionado com o número de crianças e famílias que foram ao museu, muitas até pela primeira vez. Então, eu percebi que precisava criar algo pensado para os pequenos como forma de retribuir este carinho. E o que elas amam? Dinossauros. Por isso, resolvi fazer um Tiranossauro-Rex e passei um verão inteiro estudando sobre o animal e criando esta obra”, contou.

Nathan Sawaya e sua maior escultura, Dinosaurium, com 85 mil peças (Foto: Divulgação)

Outra escultura de destaque e, para Nathan Sawaya a mais especial, é a “Yellow”, símbolo da exposição. Com pouco mais de 11 mil peças, este trabalho apresenta um homem abrindo o seu peito, com diversos elementos caindo. No entanto, para o artista, “Yellow” é mais que isso. “Este é o meu trabalho mais especial. Eu o vejo como a representação da metamorfose que eu vivi nos meus últimos anos”, disse Nathan que apontou outras diferentes interpretações para a escultura. “Eu acho que os adultos se identificam com este meu trabalho porque enxergam o que a catarse de se abrir para o mundo pode provocar. Para as crianças, eu vejo que elas se divertem com as peças caídas sobre a mesa, como se fossem as entranhas daquela pessoa”, explicou.

Nathan e sua escultura mais especial, Yellow (Foto: Divulgação)

Em uma mistura de poesia e reflexão em um ambiente lúdico, Nathan Sawaya também revela seus medos através das peças de Lego. Em uma das esculturas de “The Art of the Brick”, batizada de “Hands” pela ausência das mãos, o norte americano traduz no seu trabalho o principal pesadelo. “As minhas mãos são as minhas ferramentas e as responsáveis por tudo o que é exibido na exposição. No entanto, essa mostra só é possível porque também existem mãos incríveis no time que eu tenho, como no transporte, logística e idealizadores que fazem com que tudo fique perfeito”, disse.

Nathan Sawaya (Foto: Divulgação)

Por falar nesses bastidores, “The Art of the Brick” é um grandioso espetáculo em pequenas peças de Lego. No Village Mall, a exposição tem sua melhor exibição em termos de estrutura, como apontou Tania Tápias, diretora comercial da Ring Produções, empresa que cuida da produção, realização e organização da mostra. “Para transitar pelo mundo, ‘The Art of the Bricks’ precisa de um espaço com, pelo menos, 1.500m², sem muitas colunas, com superfície plana, 3,5 metros de pé direito e com suporte de travas de energia para a iluminação”, detalhou a diretora. Depois do Rio de Janeiro, a exposição de Nathan Sawaya viaja para Campinas, onde faz uma temporada no Iguatemi Shopping.

Serviço: The Art of the Brick

LOCAL: VillageMall (Av. das Américas, 3900 – Piso SS1 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ)
HORÁRIO: Terça a sábado, das 13h às 21h30 (fechado às segundas), domingo até as 20h
SITE VENDAS: tudus.com.br
INGRESSOS: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Pesquisas relacionadas